Vinte e dois anos após seu lançamento, e vários anos depois de inúmeros revivals e relançamentos, o Tamagotchi está de volta mais uma vez. Eles trazem alguns recursos interessantes, como conectividade com smartphones e a possibilidade de se casarem e terem filhos com os bichinhos virtuais de outras pessoas.

Se você não se lembra do brinquedo, o Tamagotchi é um pequeno eletrônico que simula a maioria das responsabilidades e cuidados que um animal de estimação real exigiria. Isso inclui alimentá-lo, cuidar dele, brincar com ele, fazer a higiene e, em resumo, interagir com ele regularmente para mantê-lo vivo, feliz e com um crescimento saudável.

A mais nova versão é o Tamagotchi On, que dá mais opções do que fazer com a criatura digital. Talvez eu esteja ficando velho, pois acho que essas coisas são mais trabalhosas do que divertidas, mas vamos lá.

A novidade mais óbvia do Tamagotchi On é que ele é gigantesco comparado às versões anteriores do brinquedo, que poderiam ser penduradas em um chaveiro sem serem notadas. A nova versão é consideravelmente maior e, como resultado, pode ser difícil colocá-la junto com um smartphone no bolso.

Uma coisa que não mudou com o Tamagotchi On são os três simples botões na parte de baixo. Eles são usados ​​para interagir com o animal de estimação virtual e navegar pelos menus do brinquedo.

Funciona, mas você precisa se acostumar com o funcionamento da navegação, já que os botões não estão marcados. No entanto, como os menus, configurações e opções se expandiram bastante nesta versão, pode finalmente ser a hora de a Bandai America considerar uma alternativa, como uma pequena tela sensível ao toque parecida com a de um smartwatch.

Uma pequena queixa: por que a Bandai America não incluiu uma correntinha para colocar no chaveiro na nova versão? Até tem o buraco para colocar um, mas você precisa usar sua própria correntinha.

A tela colorida do Tamagotchi On não é nova. Ela foi lançada em 2008 com o Tamagotchi Plus Color no Japão, mas finalmente está aparecendo aqui nos EUA. As cores são vibrantes, mesmo sob luz forte, e devido ao tamanho pequeno da tela, a falta de densidade de pixels não é um problema.

Além disso, os gráficos crus e pixelados e animações pouco fluidas fazem parte do charme e do apelo de um Tamagotchi. Não tenho certeza se eu iria curtir um bichinho virtual que tivesse uma aparência mais realista. Acho que eu ficaria arrasado quando ele morresse.

Dito isto, todos os recursos que foram adicionados à linha Tamagotchi ao longo dos anos estão começando a fazer os menus do brinquedo parecerem um pouco saturados. Você vai se pegar escavando aleatoriamente submenus intermináveis ​​para encontrar a opção que procura. Um display com mais resolução permitiria que mais opções fossem ajustadas em cada tela.

A capacidade de dois Tamagotchi Ons se comunicarem sem fio por infravermelho também não é nova — esse recurso foi acrescentado pela primeira vez com o Tamagotchi Connection em 2004. Mas agora, ele facilita mais interações entre Tamagotchis em diferentes dispositivos.

Você pode colocar seu bichinho virtual para brincar com outro, enviar seu animalzinho para visitar um amigo ou um hotel e até mesmo propor casamento. Se ele disser sim, seus animais de estimação virtuais irão consumar seu relacionamento (presumivelmente fora da tela). Depois, cada um receberá um ovo que nascerá e se transformará em um filho parecido com os pais.

Até 16 gerações de uma família podem coexistir em um dispositivo, o que parece exaustivo. Para tornar as coisas um pouco mais fáceis, existe até a opção para os seus jovens Tamagotchi passarem o dia sendo cuidados pelos pais.

O Tamagotchi On estará disponível nos EUA a partir de julho por US$ 60. Essa é a parte menos atraente dessa nova versão: ele não é mais uma coisinha barata que você compra por impulso.

A Bandai America também lançará um aplicativo móvel, que ainda não estava disponível para teste. O Tamagotchi poderá se conectar com ele para expandir ainda mais o que seu animal de estimação virtual pode fazer, onde ele pode ir e quem pode encontrar, incluindo Tamagotchis em todo o mundo.

Em vez de tentar competir com smartphones, os Tamagotchis podem finalmente ter encontrado uma forma de se conectar a eles. Assim, quem sabe as crianças param de reclamar que o bichinho morreu depois de uns dias esquecido.