A assistente Cortana, da Microsoft, estaria se tornando cada vez mais um auxílio do que um serviço por si só, sendo transferida do departamento de inteligência artificial e pesquisa da Microsoft para o de experiências e dispositivos e trabalhando com a Amazon para combiná-la com a tecnologia Alexa.

Agora, segundo o Engadget, a Microsoft parece estar incentivando os consumidores a simplesmente comprarem aparelhos com a Alexa embutida, como o recém-lançado Echo Dot e o Echo normal, usando a Cortana por eles.

• Pesquisadores fazem Alexa obedecer comandos ocultos em falas, músicas e até cantos de pássaros

De acordo com o Engadget, o usuário de Twitter Walking Cat e outros notaram que ambos os dispositivos acima parecem estar listados à venda na loja online (e em pontos físicos) da Microsoft. O site escreveu que a gigante da tecnologia parece ter aceitado que a maioria dos usuários de assistentes inteligentes vai usar Alexa, e não a notavelmente menos versátil Cortana, por questões de rotina:

Embora a Microsoft inicialmente tenha apresentado a Cortana como uma concorrente direta a outros assistentes de voz mainstream, ela mudou o foco da ajudante de IA em direção a chatbots e tarefas de bastidores que são mais úteis ao público corporativo do que aos usuários domésticos. O vice-presidente responsável pela Cortana, Javier Soltero, estaria deixando a Microsoft, enquanto a empresa transfere sua assistente da equipe de IA para o grupo de Experiências e Dispositivos. Por ora, a Alexa parece ser a assistente de voz escolhida pela Microsoft para os usuários comuns.

Como apontado pelo Verge, a Microsoft tem adotado usos da Cortana como os bots de bate-papo inteligente e suporte a clientes e está reformulando a maneira como a busca funciona no Windows 10, de forma que tenha menos ênfase na Cortana. Além disso, o Slashgear apontou que a parceria com a Amazon também inclui recursos como chamadas do Skype via dispositivos Alexa.

Com a Cortana agora aparentemente sendo menos uma prioridade para a Microsoft, isso deixa três grandes concorrentes no mercado de assistentes de voz: Alexa, Google Assistente e Siri, da Apple.

Isso não quer dizer que tudo vá perfeitamente bem para as três: a Siri é a mais limitada de entre as opções, tendo aparecido no noticiário por anunciar erroneamente a morte (em julho) da lenda dos quadrinhos Stan Lee e por se ativar durante uma audiência do Parlamento do Reino Unido sobre a Síria. Quanto à Alexa, ninguém parece estar a utilizando para comprar coisas, o que era o objetivo de seus fabricantes.

[Engadget]