O Google+, uma rede social que algumas pessoas mal sabem que existe, está com os dias contados e vai para o beleléu muito em breve.

A gigante das buscas anunciou nesta segunda-feira (8) um período de dez meses para encerrar a rede social. O processo faz parte de esforços de segurança da companhia, chamado de Project Strobe. Durante o processo, foi descoberto um bug no Google+ que poderia ter vazado informações pessoais que usuários publicaram em seus perfis — embora, segundo a análise do Project Strobe, ninguém soube da falha ou se aproveitou da vulnerabilidade.

A própria companhia estima que 500 mil contas foram comprometidas com a falha e, logo que soube do problema, em março deste ano, corrigiu o problema.

O guia completo para largar o Google
Google conta a história por trás do joguinho de dinossauro que aparece no Chrome offline

Talvez ninguém tenha notado devido ao caráter obscuro da rede social do Google. Apesar da integração com outros produtos de sucesso — como Gmail, Blogger e YouTube —, a empresa admite que o uso é insignificante. Nas palavras da própria companhia, “90% das sessões de usuários no Google+ duram menos de cinco segundos.”

Dado o potencial de abuso, e o fato de que quase ninguém está usando o Google+, a Alphabet optou por tomar o caminho mais fácil e agendou uma data para desligar os aparelhos. Os usuários (quem quer que sejam essas espécies) têm bastante tempo para baixar e migrar seus dados antes de o Google puxar a tomada em agosto do próximo ano.