O Telescópio Espacial James Webb, já com sete anos de atraso, não será mais lançado no Halloween conforme planejado. Até que foi uma boa decisão, dado o histórico de azar deste projeto. Pela primeira vez, o atraso não se deve ao telescópio, mas sim ao foguete que o levará ao espaço.

Precisamos ser pacientes, mas espero que não por muito mais tempo.

Conforme confirmado ontem durante uma coletiva de imprensa da Agência Espacial Europeia, o Telescópio Espacial James Webb não será lançado em 31 de outubro, conforme planejado. Se um dos dois lançamentos comerciais não relacionados de foguetes Ariane 5 der certo nos próximos meses, no entanto, o lançamento pode acontecer já em meados de novembro. O cronograma original previa o lançamento em 2014 — depois 2018, 2019, meio de 2020, março de 2021 e então Halloween de 2021 — então, mais algumas semanas de espera não é grande coisa. Quer dizer, eu estou tentando me convencer disso.

A expectativa é grande, já que este parece ser o telescópio mais notável já construído. Uma vez no espaço, ele visualizará o universo em infravermelho, examinará a atmosfera de exoplanetas distantes, contemplará estrelas e detectará galáxias antigas que surgiram apenas 150 milhões de anos após o Big Bang.

Um técnico realizando os testes finais do telescópio. Imagem: Nasa / Chris Gunn

O projeto, uma parceria internacional envolvendo a Nasa, a ESA e a Agência Espacial Canadense (CSA), tem sofrido atrasos, incluindo um reforço de sua proteção solar que demorou mais do que o previsto. O custo estimado do projeto, de US$ 9,7 bilhões, é quase o dobro da cotação original, de acordo com um relatório divulgado pelo Government Accountability Office no mês passado.

E agora temos outro atraso, desta vez por causa de uma anomalia durante dois lançamentos do foguete Ariane 5 da empresa Arianespace no ano passado. Como afirma o relatório do GAO, “os lançamentos deste tipo de veículo estão atualmente adiados” até que a ESA e a Arianespace “investiguem acelerações inesperadas do veículo” que aconteceram quando a carenagem se separou durante os dois lançamentos.

As cargas úteis foram implantadas com sucesso em ambos os casos, mas a companhia “deve demonstrar que o problema foi corrigido em pelo menos um [dos dois lançamentos programados]” antes que o telescópio possa ser ativado. A Arianespace não revelou as datas dos próximos lançamentos, mas o primeiro pode acontecer em julho, informa o SpaceNews.

Assine a newsletter do Gizmodo

Muito disso foi confirmado na coletiva da ESA realizada na quarta (2), que serviu como uma prévia do futuro lançamento do telescópio e de suas capacidades. Representantes da Nasa, da ESA e da CSA participaram do evento, e o consenso geral foi que o foguete Ariane 5 está pronto e que o lançamento do James Webb em meados de novembro é provável.

Thomas Zurbuchen, diretor da missão científica da Nasa, disse que o telescópio será enviado ao local de lançamento da ESA na Guiana Francesa no final de agosto. Depois disso, 55 dias para colocar o dispositivo no lançador. Ele descreveu o cronograma atual para um lançamento em novembro como “aproximadamente correto”.

Daniel de Chambure, chefe interino de adaptações e missões futuras do Ariane 5 na ESA, disse que a “origem do problema foi encontrada” e “ações corretivas foram tomadas”, acrescentando que a revisão de qualificação começou, “então devemos ser capazes de para confirmar tudo isso dentro de alguns dias ou semanas”. A anomalia, ele reiterou, “não comprometerá a missão”. Não foram fornecidos mais detalhes sobre o problema e como ele foi resolvido.

Zurbuchen disse que a Arianespace foi transparente em todo o processo.

“Temos todas as informações de que precisamos. Tivemos discussões técnicas profundas com todas as partes alinhadas com um objetivo, que é criar o sucesso da missão”, disse Zurbuchen, da Nasa. “Estamos no negócio de ciência de foguetes, por isso estamos acostumados a problemas.”

Pelo menos as coisas parecem estar avançando. A Arianespace reservou uma janela para o lançamento do James Webb de 31 de outubro ao início de dezembro, então há uma boa chance de o telescópio ser lançado este ano, mas já ficamos desapontados antes. Quando se trata do Telescópio Espacial James Webb, é melhor deixar para acreditar quando ele estiver no segundo ponto de Lagrange, a cerca de 1,5 milhão de quilômetros da Terra.