Resumo rápido: todo mundo esperava um iPhone 5, mas recebemos mesmo um iPhone 4S. Parte da decepção e confusão foi resultado de incontáveis rumores infundados, mas o Business Insider diz que o iPhone 5 era real — e a Apple o eliminou.

De acordo com a reportagem — que é completamente baseada em afirmações anônimas e insustentáveis — a Apple tinha um protótipo de iPhone 5 em seus corredores, com tela maior e um design novo. Mas, sabe como é, nem todo mundo acredita em Papai Noel — o próprio Business Insider diz que “você provavelmente dever ler este post com uma pitada de ceticismo”. Ok.

Mas a parte mais interessante da matéria é que o iPhone 5 teria sido eliminado porque Jobs pensava que uma tela nova e maior arruinaria a linha iPhone. Iria fragmentá-la. Iria androidizá-la — e qualquer coisa que remeta ao Android para Jobs era desgraça total.

De todas as razões não-técnicas por trás da ausência do iPhone 5, essa talvez seja a mais plausível. Nós sabemos o que Jobs idolatrava: minimalismo e uniformidade. Assim, abrir uma cratera na família do iPhone — vários com tela pequena, um com tela maior — eliminaria a uniformidade da linha. Os aparelhos não iam remeter um ao outro. Apps ficariam diferentes no 4 e no 5. E, mais do que isso, a barreira teria sido quebrada; a Apple teria aberto espaço para designs diferentes, deixando em aberto a possibilidade de um futuro estético que varia de aparelho para aparelho. No resumo, um pesadelo para Jobs.

Verdade ou mentira, o rumor nos faz pensar se, com o espectro de Jobs na equipe de design da Apple, o iPhone um dia terá alguma mudança significativa em seu tamanho de tela. Um redesenho é inevitável, claro — eu torço muito para que o vidro traseiro seja substituído, e invariavelmente ele irá ficar mais fino.

Mas por outro lado, os smartphones não param de crescer. E aparentemente as pessoas estão gostando, e comprando isso. Até quando o legado da tela de 3,5 polegadas do iPhone irá durar? [BI]