A partir de maio, a Microsoft vai começar a aplicar algumas novas regras para os usuários de seus produtos, e muita gente não vai gostar quando a onda de banimentos começar a surgir. Segundo informações dos novos termos de serviço, será possível ter uma conta suspensa ou até mesmo encerrada por violações que incluem “linguajar ofensivo”.

22 mil pessoas concordaram limpar banheiros por acesso Wi-Fi porque elas não leram os termos
• A política de privacidade do Spotify sobre o sigilo bancário dos usuários não é exatamente nova

A Microsoft notificou os usuários sobre uma atualização em seus termos de serviço durante esse fim de semana. Um usuário, Jonathan Corbett, estudante de direito e ativista dos direitos civis, mostrou em seu blog que aparentemente será possível ser banido dos serviços da Microsoft por exibir publicamente ou utilizar os serviços para “compartilhar conteúdo ou material inadequado (envolvendo, por exemplo, nudez, bestialidade, pornografia, linguajar ofensivo, violência explícita ou atividade criminosa)”.

Corbett notou o problema com o uso destes vagos termos e questionou em seu blog se isso significaria que ele poderia perder sua conta por fazer sexo virtual por chamada de vídeo com sua namorada ou se violência explícita se aplicaria a videogames violentos. Ele também reclamou que foi banido da comunidade do Reddit r/Microsoft por ter feito referência ao seu post.

Saiba que isso provavelmente não é tão extremo quanto Corbett teme. Nós pedimos por esclarecimentos de como as decisões serão tomadas no que constitui uma violação dos termos da empresa, mas ainda não recebemos uma resposta.

Neste sumário das mudanças, a Microsoft escreve: “Na seção Código de Conduta, esclarecemos que é vedado o uso de linguajar ofensivo e atividade fraudulenta”. Toda aquela coisa sobre nudez, violência explícita, bestialidade e todo o resto faz parte do serviço há um bom tempo, de acordo com uma busca no Wayback Machine. Inclusive, o Código de Conduta do Xbox também já proibiu anteriormente “palavras ou frases profanas”.

O que é novo nesta atualização é que “linguajar ofensivo” foi adicionado provavelmente para cobrir outros usos da língua que não podem ser classificados como “profanos”, e a violação do Código de Conduta do Xbox “pode resultar em suspensões ou proibições de participação nos Serviços Xbox, incluindo confisco de licenças de conteúdo, tempo de Afiliação do Xbox Gold e dos saldos de conta da Microsoft associados à conta”.

Não parece que a Microsoft vai cavoucar nos seus arquivos no OneDrive ou na sua caixa de entrada do Outlook. Ela diz, sim, que “reserva para si o direito de revisar Seu Conteúdo” quando estiver investigando “as violações alegadas destes Termos”. De novo, talvez todo mundo fique um pouco mais tranquilo em saber que isso já era parte dos termos anteriores.

Quanto ao Skype, a sua privacidade estará segura em ligações de voz entre contas Skype, vídeo, transferências de arquivos e mensagens instantâneas porque estas funções usam criptografia de ponta a ponta. No entanto, qualquer ligação para celular ou telefone fixo (que usem a rede comum) por meio do Skype não é criptografada, mesmo que o usuário logue em uma ligação em grupo com pessoas que também estejam no Skype.

Qualquer pessoa que já jogou um jogo de tiro com chat de voz no Xbox sabe que profanidade e “linguajar ofensivo” são comuns ali. A Microsoft até disse em agosto do ano passado que iria diminuir a aplicação do sistema de reputação que podem fazer os jogadores serem expulsos dos jogos.

Outra preocupação que foi apontada é que a Microsoft está fazendo estes ajustes para se adequar ao Stop Enabling Sex Trafficking Act, uma lei aprovada semana passada no Congresso americano que visa dificultar o uso de ferramentas que auxiliam o tráfico sexual – mas ela pode, no entanto, aumentar a censura na internet. Não é uma teoria tão distante assim, e nós recentemente vimos o Craigslist encerrar a seção Pessoal de seu site para fugir dessa legislação. Ainda assim, “linguajar ofensivo” não parece estar diretamente relacionado a lei. Questionamos a Microsoft sobre isso e atualizaremos esse texto quando recebermos uma resposta.

Ademais, isso não parece ser uma mudança tão grande, mas companhias estão se envolvendo cada vez mais em discussões online com pessoas alegando que um banimento por discurso de ódio ou assédio viola a sua liberdade de expressão. Outros termos vagos podem ser inevitáveis pois companhias querem cobrir todas as bases possíveis ao enviarem um anúncio de violação.

Atualizado em 28/3 às 15h50

Mike Ybarra, vice-presidente do Xbox afirma em um tweet que não há mudança nas políticas do Xbox Live.

Além disso, um porta-voz da Microsoft disse à IGN que a empresa está comprometida em providenciar experiências seguras aos consumidores, e que as atuais mudanças no Código de Conduta da Microsoft “providenciam transparência em como nós respondemos a denúncias de conteúdo público impróprio”.

[Microsoft via IGN]