O sistema de piloto automático — que, apesar do nome, ajuda no volante, mas não dirige sozinho — da Tesla se envolveu em um acidente de novo. Desta vez, foi um Tesla Model 3 de 2019 com o autopiloto ativo, que bateu em dois carros estacionados no acostamento de uma rodovia perto do centro de Orlando, na Flórida — EUA.

No último sábado (28) pela manhã, o motorista de 27 anos do Model 3 bateu em um carro da polícia rodoviária, segundo a Associated Press. O policial havia parado para ajudar outro motorista, que estava com problemas no carro, quando o Model 3 chegou. O veículo da Tesla não atropelou o policial, que estava fora do veículo, por pouco. Mas ainda assim bateu nos dois carros.

Felizmente, não houve fatalidades. Tanto o motorista do Tesla quanto do carro estacionado sofreram danos leves e receberam assistência. Já o policial saiu ileso.

As autoridades estão investigando as causas da batida. De acordo com a CNBC ainda não foi determinado se o piloto automático da Tesla causou ou contribuiu para o acidente.

O acidente aconteceu quase duas semanas depois de a Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário abriu uma investigação para investigar o sistema de direção assistida da empresa. Eles irão focar principalmente em 11 incidentes prévios a 2018 nos quais carros da Tesla com piloto automático bateram em carros de emergência estacionados. Os incidentes resultaram em 17 feridos e uma morte.

A investigação irá se debruçar sobre os carros fabricados entre 2014 e 2021, incluindo o Tesla Model Y, X S e 3 — um total de 756 mil unidades.

Embora a agência esteja investigando batidas envolvendo veículos de emergência, o piloto automático da Tesla já esteve envolvido em vários incidentes — já que, com ele ativado, os motoristas não dão atenção completa ao carro. Alguns dos motoristas, inclusive, estavam bêbados ou mesmo dormindo ao volante. Outros bateram porque estavam olhando para os seus telefones e confiando no piloto automático.

Apesar da Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário, a Tesla está sob outras miras. Logo após a notícia da investigação, os senadores do partido Democrata Richard Blumenthal e Ed Markey pediram para Lina Khan, presidente da Comissão Federal de Comércio, olhar para as práticas de marketing “potencialmente enganosas e injustas” das propagandas da Tesla em relação a seus sistemas de piloto automático.

Assine a newsletter do Gizmodo

Na carta, o senadores dizem (corretamente) que o piloto automático da Tesla e seus outros recursos de auto-direção são apenas parcialmente automatizados e não há nenhum veículo no mercado que possa dirigir sozinho.

“Entender essas limitações é essencial para evitar que as expectativas dos motoristas excedam as capacidades dos carros e causem acidentes sérios e fatais”, escreveram Blumenthal e Markey.