Depois de passar duas semanas com o Project Fi em San Francisco (EUA), eu estou pronto para abandonar minha operadora padrão. Eis os motivos.

O que é o Project Fi?

Recapitulando, o Project Fi é uma nova forma de usar o celular. Funciona da seguinte forma:

1) Você compra um Nexus 6. Agora, ele custa US$ 350 completamente desbloqueado nos EUA.

2) Você compra um cartão SIM especial do Project Fi do Google (eles são vendidos apenas a convidados). Ele chega pelo correio.

3) Você insere o chip no celular, e baixa o aplicativo Fi. A configuração leva cerca de 5 minutos.

4) Você faz o pré-pagamento de US$ 20 por ligações e SMS ilimitados, ou apenas US$ 10 por GB de dados — não importa quanto você use. Não existem valores extras. Qualquer valor que você não use é creditado de volta na sua conta a US$ 10 por GB — cada centavo.

5) Caso algo dê errado (além da falta de serviço), aperte um botão dentro do app Fi. O suporte técnico do Google vai te ligar.

A grande diferença entre o Fi e uma operadora padrão é que o seu celular automaticamente mudará entre múltiplas redes celulares e Wi-Fi para te manter constantemente conectado — mesmo que você esteja fora do país.

Nos EUA, o serviço é uma combinação entre as operadoras T-Mobile e a Sprint. Fora dos EUA, o Google diz que o serviço funciona em 120 países diferentes. Ligações internacionais custam US$ 0,20 o minuto, mas você pode continuar usado os seus US$ 10 por GB como se você não tivesse saído de casa.

Teste do Project Fi (2)

Como é viver com o Project Fi?

A minha experiência foi incrível, apesar de alguns probleminhas.

Tá, então você sabe que o Project Fi é vendido pelo Google como um serviço que sempre lhe manterá conectado à rede disponível mais veloz. Eles o descrevem assim:

Nós desenvolvemos uma tecnologia que lhe dá a melhor cobertura ao conectá-lo inteligentemente à rede disponível mais rápido na sua localização, seja ela uma rede Wi-Fi ou uma rede LTE dos nossos dois parceiros.

Isso não foi verdade em minha experiência. Para ter certeza, eu fiquei de olho no meu celular enquanto dirigia pela baía de São Francisco, e em viagens no trem entre San Francisco e San Jose, e durante uma caminhada de 45 minutos pelo coração do centro de São Francisco.

Ficou bem óbvio que o Fi não é inteligente o bastante para comparar redes rapidamente e mudar para a mais veloz. Por diversas vezes, vi o Fi me conectar a uma rede Wi-Fi que era muito mais lenta que o 4G da Sprint ou a T-Mobile no mesmo exato local (eu testei). É legal ver que ele me ajuda a economizar dinheiro (o Wi-Fi é de graça, o 4G não), mas ainda assim.

Eu também não vi, em nenhum momento, o Fi mudar da Sprint para T-Mobile ou vice-versa quando eu tive de lidar com conexões 3G ou HSPA. Caso o sinal desaparecesse por completo, sim, eu tentaria mudar (ou se eu ligasse o modo avião para simular o efeito), mas ele nunca fazia isso por conta própria.

Teste do Project Fi (3)

Ah, e você não pode fazer uma ligação e usar dados ao mesmo tempo.

Ah, ocasionalmente algumas ligações iriam direto para a caixa postal, sem fazer o telefone tocar. Algo meio ruim.

Ah, e mesmo com o mapa de cobertura do Fi mostrando um forte e inquebrável sinal 4G LTE em toda área que eu visitei (assim como os mapas das redes T-Mobile e Sprint), eu definitivamente passei por um monte de redes mais lentas em HSPA e até algumas EV-DO enquanto dirigia e enquanto estive no trem.

Ah, e em alguns casos, quando testei meu telefone Fi na rede da T-Mobile, ele recebia respostas mais lentas de servidores e websites que um celular da T-Mobile no mesmo local.

Teste do Project Fi (4)

Se tanta coisa foi ruim, por que você quer mudar?

Eu não sei quanto a você, mas eu não faço mais muitas ligações, e o meu uso de dados varia significantemente mês a mês (às vezes passo mais tempo em redes Wi-Fi). Eu adoro a ideia de ter uma conta de celular que começa em apenas US$ 30 e pode se esticar para o quanto eu precisar.

E para ser honesto, a maior parte do tempo que passei usando o Fi, eu tive uma conexão bem sólida. Eu obtive resultados do Speedtest.net semelhantes ao que eu via em meu celular da Verizon. Isso significa velocidades malucas de 42 Mbps (download)/20 Mbps (upload) em alguns casos, 12 Mbps/3Mbps em outros; vez ou outra, no entanto, a agulha de velocidade nem registraria nada.

O lugar onde o Fi foi inconsistentemente pior foi dentro da minha própria casa — onde eu tenho Wi-Fi constante.

O que importa é que eu estou cansado de smartphones Android bloqueados e cheios de bloatware que as operadoras vendem, e agora que elas estão deixando de subsidiar smartphones nos EUA, eu tomei a decisão de pagar o preço cheio pelo aparelho que comprarei a seguir.

Caso os smartphones Nexus a serem anunciados hoje forem bons e derem suporte ao Project Fi, eu tenho certeza que o Google será a minha próxima operadora celular. Quer dizer, eu até poderia mudar antes — mas o Nexus 6 é muito grande.