O Tinder anunciou que está lançando novos recursos para ajudar a proteger melhor os usuários dentro e fora da plataforma, incluindo uma espécie de “botão de pânico” para encontros no mundo real.

Além do botão de pânico, o Tinder também está testando um recurso de verificação de foto. Ele será usado para evitar que alguém use fotos de outra pessoa, garantindo que os perfis sejam de fato de quem eles dizem ser. A ferramenta usa IA com assistência por humanos, e os perfis verificados receberão marcas selos azuis para indicar que são legítimos.

Outro recurso que o serviço está testando é uma ferramenta para detectar linguagem ofensiva nas conversas usando o aprendizado de máquina.

Os usuários que têm acesso ao recurso verão a mensagem “Isso incomoda você?”. Se eles responderem “sim”, podem denunciar o usuário. Por outro lado, uma mensagem sinalizada como potencialmente abusiva mostrará ao remetente um botão “Desfazer”, permitindo que o usuário reconsidere antes de enviar algo sinalizado como inapropriado ou ofensivo.

Segundo a empresa, o botão de pânico estará disponível em breve nos EUA. Ela conectará os usuários aos serviços de emergência, caso se sintam inseguros durante um encontro fora do aplicativo. O Tinder e sua empresa controladora, Match Group, formaram uma parceria com a Noonlight. Graças a isso, os usuários poderão acionar um alarme que os conecta aos atendentes de serviços de emergência.

Ainda não sabemos se ou quando esse recurso vai funcionar no Brasil, já que o Noonlight não está disponível por aqui. Entramos em contato com a assessoria de imprensa do Tinder no País e atualizaremos este post quando tivermos mais informações.

O recurso permite compartilhar os detalhes de seu encontro — incluindo a hora e o local — antes de ir para o compromisso. De acordo com o Wall Street Journal, que noticiou o recurso em primeira mão, os usuários devem digitar um código depois de acionarem o alarme no aplicativo. Se eles não conseguirem, eles receberão uma mensagem de texto. Se eles não responderem nem atenderem um telefonema subsequente, o Noonlight enviará serviços de emergência para o local do encontro.

O recurso também adiciona um selo ao perfil do usuário do Tinder. Segundo Elie Seidman, CEO da Tinder, ele vai funcionar como “a plaquinha no quintal de uma casa com sistema de segurança”, uma espécie de “advertência”.

Imagem: Tinder

Quando perguntado sobre como os usuários terão suas informações rastreadas pelo Noonlight enquanto estiverem usando a ferramenta, um porta-voz disse ao Gizmodo que “não pede que eles compartilhem sua localização com o Tinder o tempo todo. Isso está no aplicativo Noonlight, que precisa do rastreamento de localização em segundo plano ativado para garantir que as autoridades possam ser enviadas para o local apropriado”. O porta-voz esclareceu que os usuários podem ativar ou desativar o recurso a qualquer momento.

“Uma experiência de encontros segura e positiva é crucial para os nossos negócios”, afirmou Mandy Ginsberg, CEO da Match Group, em comunicado. “Encontramos no Noonlight a tecnologia de ponta que pode fornecer serviços de emergência em tempo real — que não existe em nenhum outro produto voltado a relacionamentos — para que possamos empoderar os solteiros com ferramentas para mantê-los mais seguros e dar-lhes mais confiança. A integração desse tipo de tecnologia, além dos outros padrões de segurança que o Match Group está implementando em nossas marcas, é uma etapa necessária na inovação de encontros.”

Todas essas ferramentas, embora talvez sejam soluções imperfeitas, têm o potencial de ajudar a tornar a plataforma um pouco mais segura. Por outro lado, os usuários precisarão compartilhar ainda mais dados com as empresas.