Este é Tom Shannon, criando uma das últimas pinturas dele. O processo que ele usa — balançar um pêndulo gigante, equipado com seis pistolas de tinta ativadas por controle remoto, em cima de uma tela — é um casamento de caos e controle. E os trabalhos dele, bem… são incríveis.

Neste processo artístico único, explica o artista, "o pêndulo me permite ficar de fora e observar a natureza produzir camada após camada de detalhes". Então tá…

Ele ainda explica que as influências dele incluem o físico francês (e viciado em pêndulos) Leon Foucault, assim como o "indelével ponto de referência do LSD". Arrá!

Shannon tem 62 anos de idade, mas um dos primeiros trabalhos mais famosos dele, feito quando ele tinha 22 anos (e sem o pêndulo), é "um ciborgue robô-filodendro que se contorce quando tocam as folhas dele". Com esta nota biográfica, acho que parece bastante normal que ele agora pinte com pêndulos e controles-remoto. [Tom Shannon via Wired]