O método completo é explicado no paper acadêmico Fingerprinting Blank Paper Using Commodity Scanners. Eis o abstract da tese:

Este paper apresenta uma técnica inovadora de autenticação de documentos físicos baseada em imperfeições naturais e aleatórias na textura do papel. Nós introduzimos um novo método para medir a superfície tridimensional de uma página usando apenas um scanner comum e sem modificar o documento de nenhuma maneira. A partir deste traço físico, nós geramos uma impressão digital concisa que identifica de forma única o documento. A nossa técnica é segura contra falsificação robusta quanto ao manuseio indevido do documento; ela pode ser usada até mesmo antes de qualquer conteúdo ser impresso em uma página. Ela possui uma ampla gama de aplicações, incluindo a detecção de tíquetes, ingressos e papel-moeda forjados, autenticação de passaportes e também para impedir a comercialização de bens falsos. A identificação de documentos também pode ser aplicada de forma maliciosa para remover o anonimato de pesquisas impressas e para comprometer o sigilo de cédulas de voto de papel.

 

Em essência, ao escanear um pedaço de papel a partir de diversos ângulos diferentes, é possível usar leitura de sombra para reconstruir as traços 3D únicos do papel – o que passa ser a impressão digital básica dele. Esta impressão digital pode então ser armazenada em algo tão simples quanto um código de barras para posterior validação.

Se ao menos pudéssemos autenticar nossos dados digitais com medidas tão eficazes assim…. [Freedom to Tinker via boingboing]