Eu costumava achar que “melhorar o sexo” significava apenas “brinquedos sexuais”. Ou melhor, isto até eu começar a explorar o maravilhoso – e às vezes completamente bizarro – mundo dos melhoramentos sexuais eletrônicos. Eis o que está acontecendo agora e o que acontecerá em breve.

Como você verá, as inovações atuais pegam as nossas línguas, dedos, vulvas e pênis e os elevam ao próximo nível. Mas o futuro dos melhoramentos sexuais aparenta estar na biometria e no networking. Em breve, os brinquedos aprenderão e interagirão com as respostas dos nossos corpos, com ou sem um parceiro, enquanto os teleconsolos ajudarão as pessoas separadas por vastas distâncias a ficarem mais próximas (e molhadas).

Língua estendida

Quem quer que tenha sido responsável por criar os genitais da mulher certamente os fez difíceis de estimular – especialmente pela via oral. Conheça o Tongue Joy, um upgrade de língua vibrante que ajuda as línguas humanas a fazerem o que nenhum humano consegue em termos de sensação e vigor. Prenda o vibrador de silicone à sua língua (ou, se a sua língua tiver piercing, use o anexo de campânula) e vá fundo. É operada por bateria e vem com múltiplos tamanhos de tiras caso você queira prendê-lo a algo maior. Quatro anexos de manga de silicone melhoram o tamanho e a textura da delícia vibratória. Totalmente excelente para sexo oral em homens também.

Dedos biônicos

A luva e o power pack vibrante de três dedos da Fukuoku melhoram o tamanho e a função dos dígitos do usuário, transformando os seus dedos em vibradores que operam a até 45.000 vpm (sigla para vibradas por minuto). Este item é particularmente mais ciborgue que a maior parte dos brinquedos sexuais, caso você curta este tipo de coisa (sim, sim, você mesmo, assinante do Malebots!).

Ampliador masculino artificial

O Ride On detona a maioria dos demais extensores de pênis. Ele é mais confortável, menos pesado e fica preso sob mais posições do que os outros modelos – tudo isso enquanto cumpre com seu papel de melhorar o tamanho e a função do pênis de um homem. Função? Sim senhor. Alguns homens usam isso não para ampliar o comprimento ou a espessura do seu membro, mas para conseguir manter a atividade sexual durante os intervalos. Disponível pela Vixens Creations, o Ride On permite que o homem contorne aquele irritante “período refratário”, uma maldição da sexistência de muitos homens. É também útil para homens com disfunções eréteis graves ou crônicas que querem entrar (com direito a trocadilho) na jogada.

Camisinhas eletrônicas?

Dada a noção de que camisinhas podem reduzir a sensação, cientistas amantes do sexo têm proposto designs de camisinhas vibrantes pelo menos desde a década de 90. Considerando a enorme evolução dos vibradores desde então, não está muito claro como se pareceria uma camisinha vibratória – se algum dia isto chegar ao mercado. Será que teria um incômodo fio externo e fonte de energia como nesta imagem patenteada de 1995? (Eis um PDF da patente.) Ou será que o vibrador seria embutido na própria camisinha, fino como um Band-Aid, como nos meus sonhos? O design teria que depender da funcionalidade: a vagina não é tão sensível quanto a vulva da mulher (clitóris, lábios, etc.), então o valor de uma vareta vibratória talvez seja maior para um homem do que para sua parceira. Quer dizer, a menos que ela também vibre na base do clitóris ou da abertura vaginal da mulher, como o Anel Vibratório Troiano ou o Bo – um grande favorito.

O pênis hidráulico

Tão potencialmente enfadonho quanto a sua ideia, este melhoramento pré-Viagra atualmente só serve para homens com disfunções eréteis que não respondem a medicação ou terapia sexual. Este tipo de implante peniano permite que os homens se bombeiem até chegarem ao estado erétil sempre que quiserem – note a bombinha no escroto – e desinflarem também sob comando. Daí não rola estas assustadoras ereções que duram mais de 4 horas que tanto vemos em comerciais destes medicamentos. Apesar de muitos homens sonharem com este tanto de controle sobre suas ereções, os que usam isto só o fazem como último recurso. Ao ser usado por um tempo, alguns homens perdem o seu reflexo natural de ereção porque os seus corpos não precisam mais trabalhar para manter a ereção. Moral da história: aproveite o que você tem.

Hímen novamente

Hímens falsos dão a ilusão de que você está indo onde nenhum moço já foi antes. Uma opção é a himenoplastia – uma cirurgia que “restaura” o hímen da mulher. Isto é feito muito raramente nos EUA, mas é feito com cada vez mais frequência em outros países, geralmente para meninas que acham que precisam provar a sua virgindade aos seus noivos ou sua família para não caírem na vergonha ou, assustadoramente, sofrerem até mesmo violência. Às vezes, a operação é solicitada por mulheres que querem dar aos seus parceiros o “presente” de tirar a sua virgindade, como uma espécie de presente de aniversário de casamento (fala sério….e de pensar que eu aceitaria de bom grado um taco de golfe ou um Garmin).

Existe um produto que se pode comprar por correio que as mulheres inserem dentro de suas vaginas e estimulam a perda da virgindade, com sangue falso e tudo. O Hímen da Virgindade Artificial, da Gigimo, foi duramente atacado por políticos egípcios, que até quiseram banir o produto. Enquanto isso, as mulheres de todas as partes ainda clamam pelo fim das práticas que insistem que elas devam “provar” sua virgindade a qualquer um ou qualquer coisa. Em uma nota à parte, uma palavrinha rápida à Gigimo: quando vocês escrevem que você pode “experimentar a sua primeira noite sempre que quiser”, isto também inclui aquele desajeito constrangedor, aquele comparecimento dolorido de 20 segundos e as duas semanas de preocupação com gravidez?

Biometria: gadgets que lhe servem

Eu vi (sonhei?) o futuro dos brinquedos sexuais e posso dizer: ele é irado. Existem ideias sobre como criar brinquedos sexuais que se baseiam em biometria digital. Não, não estamos falando de brinquedos ativados por impressão digital que impedem que os maridos fiquem curiosos quando estão sozinhos em casa. Estamos falando de produtos que respondem à temperatura vaginal, às contrações pélvicas que levam ao orgasmo, o batimento cardíaco e até o fluxo sanguíneo na região do pélvis. Os auxílios sexuais do futuro poderão aprender a resposta sexual do indivíduo e alterar os padrões de estimulação com base nos dados.

É possível que um dia venha a existir um gadget que ajude os homens a durarem mais tempo ou as mulheres a gozarem mais rapidamente. Talvez isto gere uma tensão sexual de maneira tão amável que o prazer e o orgasmo serão sempre “melhores que a média”. A tecnologia já existe, as ideias estão aí, só precisamos é da execução, e aposto que isto sairá mais cedo do que esperamos. Quando chegar o dia do estímulo melhorado biometricamente, eu garanto que acordaremos já colados aos nossos gadgets com muito mais que nossos iPhones.

Teleconsolo: desejo ardente à distância

Apesar de a maioria dos brinquedos sexuais melhorar a brincadeira presente em pessoa, alguns brinquedos facilitam o sexo entre pessoas separadas por quilômetros. Pegue o PenisTron, por exemplo, que se parece e provavelmente dá a mesma sensação (graças ao efeito de vácuo) de uma versão Fleshlight de uma vagina – e pode se controlado, apertado ou desacelerado como um sedutor balançar pela parceira de um homem de modo a simular os dois fazendo sexo.

Existe também o Communication Hole Rider (que envolve efeitos de vácuo) e o Joystick (efeitos de vácuo no pênis e um joystick bunda acima) – tudo podendo ajudar a conectar duas pessoas para a atividade sexual interativa.

Não é fazer sexo com um brinquedo; é sexo com uma pessoa por meio de um brinquedo. É uma grande diferença. Claro, você perde os beijinhos (os designers de brinquedos sexuais primordialmente masculinos nunca criam brinquedos que ficam com você exceto algumas namoradas robóticas apavorantes). Por outro lado, não há risco de infecção ou gravidez quando você realiza o ato teleconsolamente.

O meu sonho para os teleconsolos é que, com o tempo, nós aprimoraremos os brinquedos de modo a produzirmos maior variedade e transições. Sexo na vida real tende a ir, por exemplo, da sucção (efeitos de vácuo) à lambição (veja o Sqweel) ao beijo na boca (namorada robótica apavorante) à relação sexual (vácuo novamente) à brincadeira com as mãos (versão reduzida da luva Fukuoko) ou qualquer outra coisa que lhe excite (mobília?). E se fosse eu brincando com um parceiro pela Internet, eu adoraria tocar, beijar, lamber e brincar das mais diversas maneiras excitantes – não apenas enfiar o seu bilau com o PenisTron (apesar de ser um bom começo). E aí, quem topa?


A Dra. Debby Herbenick (PhD) é uma cientista pesquisadora e Diretora Adjunta do Centro de Promoção de Saúde Sexual da Universidade de Indiana, uma educadora de saúde sexual no Instituto Kinsey e autora de “Because It Feels Good: A Woman’s Guide to Sexual Pleasure and Satisfaction“.  O blog dela está no endereço MySexProfessor.com.

Nesta última semana, o Gizmodo explorou o futuro humano melhorado com seções do que chamamos de Esta Vida Ciborgue. Trata-se daquilo que acontece quando tratamos os nossos corpos menos como objeto sagrado e mais como o que realmente é: a máquina mais avançada da Natureza. 


Os comentários estão desativados.