Este ponto de triagem de entrada e saída de fronteira com controles de análise térmica é como o seu aeroporto ficará dentro de alguns anos. Se você tiver sorte. Gripe suína ou não, este é o nosso futuro.

Veja bem, apesar da gripe suína não ter sido tão ruim quanto se pensava originalmente que seria, o fato é que é melhor ser superprotetor do que arrependido. Ou pelo menos é o que pensam alguns governos, em especial o dos EUA.

É exatamente como controles antiterroristas dos aeroportos. Estes foram elevados a níveis ridículos após os ataques de 11 de setembro, com medidas como limites totalmente arbitrários sobre líquidos, regras do tipo “favor remover o laptop da mala” e a clássica “favor remover os seus calçados e o seu casaco”- medidas que só acrescentam controvérsia sem de fato aumentar a segurança. Não só elas têm sido ignoradas e inutilizadas em inúmeras ocasiões, como também há dezenas de brechas na segurança por todas as partes em torno dos aeroportos que podem ser usados pelos bandidos para fazer suas maldades, mesmo agora.

Os americanos arranjaram estas medidas e todos as aceitaram de bom grado, voltando a dormir e ter esta falsa sensação de total segurança, tudo graças a este strip-tease diário nos aeroportos em nome da segurança. As máquinas acima podem dizer se a temperatura do seu corpo está subindo, mas muitas doenças contagiosas não provocam sintomas sérios cedo o suficiente para deter a sua propagação*.

O mesmo acontecerá com controles médicos. Leitores térmicos e farejadores cibernéticos capazes de detectar vírus e germes , tudo projetado para fazer a mesma coisa: dar a todos a falsa sensação de segurança em relação à saúde.

Será falsa porque, até a tecnologia estar verdadeiramente onisciente e realmente conseguir detectar as mais minúsculas quantidades de qualquer vírus em qualquer estágio de desenvolvimento, a barreira nunca será real de fato. E mesmo assim, haverá outros pontos de entrada para o vírus. Você simplesmente não consegue botar barreiras no ar. Você pode tentar conter, mas ao final será uma batalha que certamente perderemos. Pelo menos por enquanto.

No momento, o fato é que, independente de quantos controles pusermos nos aeroportos, se houver uma verdadeira deflagração de algo realmente asqueroso, com absolutamente nenhuma cura, estamos fodidos. Bem fodidos.

Enquanto isso, nós todos poderemos representar aquela cena da barreira no aeroporto do filme Total Recall toda vez que formos viajar. Ah, mal posso esperar. [Boston.com]

*NT: fora que muitas doenças contagiosas não têm ‘febre’ como um dos sintomas.