O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (25), um acordo para salvar a empresa chinesa ZTE, apesar da oposição de legisladores de ambos os partidos do país.

• A ZTE está em apuros após ser banida pelo governo dos Estados Unidos

Em uma curta série de tuítes publicada na sexta-feira, Trump disse que permitiria que a ZTE “reabrisse desde que houvesse garantias de segurança de alto nível, mudança de de gerenciamento e diretoria da empresa”. O acordo supostamente exigirá que a fabricante chinesa compre componentes dos EUA e pague uma multa de US$ 1,3 bilhão.

 


O Senador Schumer e a Administração Obama permitiu que a empresa de celulares ZTE prosperasse sem nenhuma checagem de segurança. Eu os fechei e então permitirei que eles reabram com garantias de segurança de alto nível, mudança de gerenciamento e diretoria da empresa, exigindo compras de peças dos EUA e o pagamento de uma multa de US$ 1,3 bilhão. Democratas não fizeram nada…

 


…a não ser reclamar e obstruir. Eles apenas fizeram maus acordos (Irã) e seus chamados Acordos de Comércio são o motivo de chacota do mundo!

No discurso típico de Trump, ele envolveu na mesma conversa o senador democrata Chuck Schumer, o ex-presidente Barack Obama, e o acordo nuclear com o Irã – tudo em dois tuítes que pretendiam anunciar um acordo com a ZTE, negociado pelo Departamento de Comércio, de acordo com o New York Times.

O acordo parece ter um benefício claro para a ZTE, que já estava se preparando para cessar suas operações, após as medidas severas implementadas pela própria administração de Trump. No mês passado, o Departamento de Comércio anunciou que empresas americanas estavam proibidas de vender peças para a ZTE por sete anos.

A proibição, que prejudicou uma parte significativa dos negócios da ZTE, aconteceu meses depois de as agências de inteligência dos EUA alertarem que fabricantes chinesas de smartphones, incluindo Huawei e ZTE, poderiam usar suas tecnologias para espionar pessoas em nome do governo chinês.

Trump está prevalecendo sobre, basicamente, todos – aparentemente em resposta a um pedido do líder chinês Xi Jinping. Sob o acordo, a ZTE não só poderá comprar peças de empresas dos EUA novamente, como será obrigada a fazê-lo. Os detalhes das supostas “garantias de segurança” não foram divulgados.

A ZTE e a China provavelmente vão curtir o anúncio de Trump, porém ninguém mais no Capitólio, fora do Salão Oval, parece satisfeito com a medida. Legisladores de ambos os lados criticam o anúncio.

O senador Marco Rubio foi ao Twitter e disse que o acordo foi “um ótimo negócio” para a ZTE e para China, sugerindo que os Estados Unidos saíram perdendo. “A China quebra empresas americanas sem piedade e utilizam nossas companhias de telecomunicações para nos espionar o nos roubar”, escreveu, convocando o Congresso a agir para impedir o acordo.

 


Sim, eles têm um bom negócio em mente. É um ótimo negócio… para #ZTE & China. A #China quebra empresas americanas sem piedade e utilizam nossas empresas de telecomunicações para nos espionar o nos roubar. Muitos esperavam que desta vez seria diferente. Agora o congresso precisará agir.

“Se a administração seguir com esse acordo, o presidente Trump estaria ajudando a tornar a China boa novamente”, disse o senador Chuck Schumer, que criticou Trump por não ser forte o suficiente sobre o caso ZTE. “Ambas as partes no Congresso devem se unir para impedir este acordo”.

 


Se a administração seguir com esse acordo, o Presidente Trump estaria ajudando a tornar a China boa novamente. Seria uma grande vitória para o Presidente Xi, e um recuo dramático do Presidente Trump. Ambas as partes no Congresso devem se unir para impedir este acordo.

O mais louco de toda essa situação é que esse acordo para salvar a ZTE talvez não seja possível. De acordo com o Washington Post, o Senado está decidido a votar em uma Lei de Autorização de Defesa Nacional que contenha uma cláusula que torne difícil para a Casa Branca desfazer restrições à ZTE sem aprovação do Congresso, estabelecendo um potencial confronto entre o presidente e os parlamentares. Tudo para tentar salvar empregos na China.

Sinal verde para ZTE nos EUA é bom sinal para a Qualcomm

Como nada é por acaso, segundo fontes da Reuters, o órgão regulador chinês agora sinaliza que deve aprovar a aquisição da NXP pela norte-americana Qualcomm.

No início do ano a fabricante de chip baseada em San Diego anunciou a aquisição da empresa de semicondutores NXP em um negócio de US$ 44 bilhões. De acordo com analistas, a operação deve ajudar a Qualcomm a diversificar ainda mais sua operação na criação de chips para funcionar em veículos, e também uma forma de depender menos do mercado de smartphones.

A China foi o único país que mostrou objeções ao negócio — acredita-se fortemente que teve relação com a represália do governo norte-americano à ZTE.

[Washington Post, New York Times, Associated Press]

Colaborou: Guilherme Tagiaroli

Imagem do topo: Getty