Em uma épica viagem de dois anos através do Pacífico, uma caixa de iscas em um barco japonês se transformou em um aquário depois que cinco peixes listrados – conhecidos com ishidai – se abrigaram nela.

O barco de seis metros provavelmente começou sua viagem no Japão, depois que o tsunami atingiu o país em março de 2011.



A onda gigante fez restos e destroços do oceano serem levados até a costa oeste dos EUA, geralmente cheios de plantas marinhas e animais invertebrados. Mas esta é a primeira vez que peixes vivos foram encontrados após a jornada de 7.600 quilômetros.

Os peixes, junto a outras criaturas do mar japonesas, chegaram no mês passado em Long Beach, Washington (EUA). Allen Pleus, coordenador de espécies aquáticas invasoras no Departamento de Peixes e Vida Selvagem de Washington, acredita que o barco de fibra de vidro conseguiu flutuar na posição vertical, mas sua popa ficou a alguns centímetros abaixo da superfície do oceano. A caixa de isca tornou-se então uma “pequena caverna” onde os peixes puderam morar.

O ishidai (Oplegnathus fasciatus) é um peixe tropical encontrado principalmente em águas rasas ao longo da costa japonesa. Os peixes que pegaram carona no barco têm cerca de 11 cm de comprimento. Eles parecem ter sobrevivido se alimentando de outros organismos no barco.

Foto por Allen Pleus/Washington State Department of Fish and Wildlife/AP


New Scientist.New Scientist informa, explora e interpreta os resultados das descobertas humanas no contexto da sociedade e da cultura, fornecendo uma cobertura ampla de notícias sobre ciência e tecnologia.