A resolução 8K, com 7.680 x 4.320 pixels, já é usada pela Rede Globo para gravar novelas, mas ainda não é usada em transmissões de TV no Brasil. Até agora: japoneses transmitiram imagens nessa altíssima resolução de Brasília para Tóquio e vice-versa.

Segundo O Globo, especialistas da emissora japonesa NHK e da operadora japonesa NTT estão, há uma semana, testando a transmissão 8K no Brasil. Para tanto, eles usam duas conexões paralelas de alta velocidade. Trata-se da internet aberta, e não de uma rede exclusiva.

Yoshiaki Shishikui, engenheiro da NHK, diz ao jornal que “se transmitimos bem entre [Brasília e Tóquio], isso significa que podemos transmitir TV 8K para qualquer ponto do mundo”. Próximo passo: transmissão pelo ar no país.

Esta é uma iniciativa trazida ao país por Michael Stanton, diretor da RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa), rede que integra mais de 800 instituições de ensino e pesquisa no Brasil.

Ele explica que, para levar conteúdo 8K compactado do Brasil ao Japão via internet, é preciso uma velocidade bem alta: 360 Mbps. Afinal, não é fácil transmitir vídeo com dezesseis vezes a quantidade de pixels presente no Full-HD. E além da imagem, há o som: a tecnologia traz 22.2 canais de áudio. Por isso é necessária toda essa parafernalha que você vê abaixo:

transmissao 8k 2

Os japoneses estão fazendo testes com a RNP para, no futuro, transmitir TV 8K durante a Copa do Mundo e Olimpíadas. Um executivo da NTT diz que planeja enviar vídeo 8K do Rio de Janeiro para Tóquio em 2014 – provavelmente algo relacionado à Copa. Os japoneses já fizeram testes dessa tecnologia no Carnaval deste ano.

No Japão, as transmissões em 8K via satélite devem começar em 2016. E no Brasil? Ainda não há prazo definido; uma expectativa otimista é adotá-la logo depois que estiver disponível para os japoneses. Mas, como ainda estamos longe de terminar nossa migração para a TV digital (e HD), a tecnologia 8K deve demorar um pouco para vingar por aqui. [O Globo]

Fotos por Carlos Alberto Teixeira/Google+