A ideia é tão simples que é meio impressionante nenhum fabricante de televisores ter pensado nisso antes. Uma televisão presa à parede deveria, teoricamente, ser linda e elegante, mas o maço de cabos saindo de trás da televisão, a afastando da parede e se projetando para onde a caixa da TV à cabo, o PS4, e o Wii U ficam, é feio. Então a Samsung fez algo que parece ser ao mesmo tempo antiquado e inovador, eles mudaram todas as entradas da TV.

• Novas TVs LG OLED 4K trazem “preto puro” ao Brasil por até R$ 32.000
• Com 370 polegadas, uma TV 4K foi vendida por US$ 1,6 milhão

A televisão Q9 é o principal produto da Samsung em 2017. Ela é mais fina que um baralho, a tela brilha mais de três vezes que o seu smartphone (cerca de 2000 nits contra a média de 500 a 600 de um telefone topo de linha), e encaixa cerca de 6 entradas em um cabo com a espessura de uma linha de pesca.

samsung-cabos-2Esses são os cabos de energia e de conexão, lado a lado.

O cabo minúsculo é translúcido, fazendo ele ser menos visível contra a parede, isso caso você não queira apenas passar uma fita por cima dele e pintar junto com a parede. Ele vai conectar a uma unidade como o atual One Connect Box da Samsung, que inclui USB 3.0, coaxial, e várias entradas HDMI.

Por mais que o pequeno cabo seja impressionante, e tenha deixado vários repórteres embasbacados quando foi revelado, a Samsung preferiu focar na parte da frente da TV. Ela usa uma nova formulação do display de nanocristal para melhor emular as cores e contrastes de uma TV OLED, sem o preço e os potenciais danos na tela.

samsung-cabos-tv

A Samsung tem se calado sobre o que precisamente muda entre o display de nanocristal de suas antigas TVs SUHD e a nova linha Q. Preferindo falar sobre pixels menores e maior volume de cor (a Samsung alega que a Q9 vai renderizar 20 por cento mais cores do que seus modelos SUHD de 2016). Na prática eu não vi muita diferença, ao menos no ambiente super controlado do evento para a imprensa. A TV parece ter uma boa profundidade de tons pretos, e as cores, assim como nos displays de nanocristal anteriores, continuam saltando aos olhos de maneira impressionante.

Ela mostrou um pouco do efeito “halo” que pode ocorrer quando uma fonte de luz muito clara aparece ao lado de uma parte muito escura da tela. Mas também não houve aquele choque surpreendente que experimentamos em outros anos. Essa melhora na imagem parece sutil na melhor das hipóteses.

A Samsung não anunciou quando ela estará disponível, mas você pode esperar que a Q9, e a menos cara Q8 e Q7, que tem acabamentos mais feiosos, cabos mais largos e opções curvas, apareça nas lojas dos EUA por volta de março. Quanto ao preço, a Samsung ainda não apresentou nenhum número, mas as televisões de ponta da Samsung anteriormente começaram a ser vendidas a US$ 3.000, cerca de R$ 9.700 na cotação atual.

Fotos: Nicholas Stango/Gizmodo.