Em breve, o Twitter aceitará mais um tipo de post: áudios. A rede social liberou nesta quarta-feira (17) um recurso que permite que os usuários gravem mensagens de voz e compartilhem com seus seguidores. A novidade, por enquanto, é exclusiva para alguns usuários do app de iOS, e deve chegar para todos com este sistema operacional nas próximas semanas.

Um botão de ondas sonoras fica na barra inferior da janela de escrever novo tuíte. Ao tocar lá, a gravação se inicia. O limite de tempo de um tuíte de voz é de 140 segundos (o que dá dois minutos e 20 segundos, mesmo tempo limite dos vídeos). O recurso, porém, se comporta igual aos Stories do Instagram: ao atingir o limite, ele continua a gravação e divide o conteúdo em dois ou mais posts.

Na timeline, as gravações de voz aparecem como se fossem um vídeo, com a imagem de perfil do usuário no centro, um fundo monocromático e animações de ondas de som. No iOS, os áudios também aparecem em uma barra na parte inferior da interface do app, como se fosse um player de música.

GIF mostra como funciona o recurso de áudio do Twitter. Tela do celular com o app de Twitter aberto. O botão para escrever Tweet é tocado. A pessoa começa a escrever uma mensagem, então toca no botão de ondas sonoras para gravar áudio. Aparece a tela com de gravação. O usuário toca no botão de microfone, grava, e toca no botão de finalizar. Aparece a timeline do Twitter com uma janela de vídeo, em que a gravação do Tweet pode ser reproduzida e ouvida.

Obviamente, como muita gente já não gosta de receber mensagens de áudio pelo WhatsApp ou por qualquer outro mensageiro, a novidade recebeu muitas reações negativas, incluindo pessoas com medo de um gemidão do Twitter. Já algumas páginas de futebol estão usando para reciclar memes antigos e recentes. Mas há um aspecto interessante: a acessibilidade.

Como destacou (em um áudio) o jornalista Gustavo Torniero — que participa do Movimento Web Para Todos e já conversou com a gente sobre acessibilidade na web — os tuítes em áudio podem ajudar pessoas com deficiências visuais a disponibilidade de conteúdo e facilidade de compartilhar ideias. Claro, ainda não resolve tudo: quem tem deficiências auditivas não vai poder acessar esses posts, já que o Twitter não tem uma ferramenta de legenda para áudios e vídeos.

“Há muitas coisas que podem deixar de ser ditas ou mal interpretadas ao usar texto e é por isso que esperamos que os Tweets de voz criem uma experiência mais humana para ouvintes e contadores de histórias”, diz o post do Twitter que anuncia a novidade. “Mal podemos esperar para ver como as pessoas vão usar essa nova função para fazer com que suas vozes sejam ouvidas e participem da conversa pública.”