O Twitter pode ter uma aparência muito diferente em breve.

Na semana passada, descobrimos que a rede pensa em fazer um redesign, e os primeiros screenshots mostram um visual surpreendentemente parecido com o Facebook. Agora temos uma noção melhor de como ficará o Twitter depois das mudanças.

• Anistia Internacional apresenta dados mostrando como o Twitter tem falhado em policiar abuso na plataforma
• Demorou, mas em 2018 repararam no poder que o Facebook tem

O TechCrunch deu uma olhada em alguns dos recursos que o Twitter está ensaiando para um novo programa de testes beta a ser lançado nas próximas semanas. Alguns milhares de usuários de teste receberão um aplicativo separado, no qual poderão testar novos recursos e discutir sua experiência com outros usuários selecionados. O Twitter planeja monitorar como essas pessoas usam os recursos experimentais para descobrir do que as pessoas gostam e o que elas odeiam. Não está claro como o Twitter planeja fazer essa seleção.

De acordo com o TechCrunch, esses usuários de teste poderão tuitar publicamente sobre sua experiência com os novos recursos. Desta forma, o Twitter pode, presumivelmente, avaliar a reação do público a mudanças potencialmente controversas antes de atualizar o aplicativo principal.

A diretora de gerenciamento de produtos do Twitter, Sara Haider, disse ao TechCrunch que, com essa abordagem, os usuários iniciais poderiam ter uma influência significativa nas mudanças que a rede social está pensando em fazer.

Uma característica que o TechCrunch observou — e que já está provocando algumas opiniões fortes — são respostas codificadas por cores. O Twitter diz que elas servem para ajudar os usuários a distinguirem facilmente a diferença entre quem fez o post original, as pessoas que os usuários seguem e as pessoas que eles não seguem.

Isso pode ajudar os usuários a navegar pelas conversas e se concentrar nas pessoas que conhecem e em quem começou o assunto. O TechCrunch informou que o esquema de cores mostrado em suas fotos de pico inicial será “amenizado” quando ou se o recurso for lançado. No entanto, já tem gente dizendo que parece uma “bagunça colorida”.

Outra mudança que o Twitter está testando são as respostas classificadas por algoritmos. O Twitter poderia, por exemplo, começar a mostrar mais embaixo as respostas de estranhos em conversas. O Twitter também pode ajustar a aparência dessas respostas para facilitar a identificação.

Outra mudança em testes é ocultar os ícones de coração (para curtir/favoritar), de retweet e de resposta, no que seria um esforço para simplificar a aparência das respostas. Esses ícones só aparecerão depois que você tocar em uma postagem. Então, quando um usuário está navegando pelos tuítes, não veria todas essas coisas. Se ele quiser participar, pode tocar no tuíte e ter a opção de curtir, retuitar ou responder.

A rede também considera colocar opções de atualização de status para que os usuários possam postar onde estão ou compartilhar uma atualização mais geral, como as que o Facebook costumava incentivar. Também há rumores de que a rede vai testar “iniciadores de conversa” — tuítes fixados feitos para fazer as pessoas postarem sobre uma determinada ideia ou assunto.

Quando Haider mostrou pela primeira vez essas mudanças em um tuíte publicado em agosto, ela disse que a intenção era “tornar a rede mais conversacional”. No entanto, há uma ausência notável: nenhum recurso de como a empresa planeja permitir que pessoas se protejam melhor do assédio e do discurso de ódio nessas conversas. Um porta-voz do Twitter disse ao Gizmodo que seus esforços para tornar o Twitter mais direcionado a conversas estão sendo desenvolvidos junto com seus esforços contínuos para evitar abusos e spam. “Estamos comprometidos em nos manter publicamente responsáveis ​​pelo progresso nesse sentido”, disse o porta-voz, referindo-se à construção de “um serviço mais saudável”.

Então, esperamos ver menos posts de neonazistas e outras mudanças substanciais para tentar resolver as questões mais tóxicas do Twitter, em vez de apenas ver estes mesmos tuítes na parte de baixo de conversas, com uma cor diferente.

[TechCrunch]