Em mais uma tentativa de diminuir a disseminação de desinformação em prol de governos no mundo todo, o Twitter anunciou nesta quinta-feira (2) a remoção de quase 3.500 contas de propaganda governamental e desinformação.

Segundo a empresa, a maioria dessas contas, cerca de 2.048 tuítes, fomentava o discurso oficial do Partido Comunista da China sobre o tratamento do povo uigur, uma minoria muçulmana da qual se acredita que cerca de um milhão de membros estão detidos em campos de trabalhos forçados, de acordo com ONGs.

Além dessa leva, cerca de outros cem perfis estavam vinculados a uma empresa próxima ao governo da província chinesa de Xinjiang (noroeste da China), onde vive grande parte dos uigures. Também foram identificadas e removidas contas que promoviam a ação de autoridades da Rússia, Tanzânia, México, Uganda e Venezuela.

Assine a newsletter do Gizmodo

Além das remoções, o Twitter ainda anunciou que lançará já no início de 2022, um painel sobre questões relacionadas à moderação em sua plataforma que reunirá acadêmicos, representantes de ONGs, jornalistas e membros da sociedade civil.

A empresa ainda ressaltou que não intervirá sobre os temas analisados ou as conclusões destes grupos de especialistas que ficará responsável por analisar essas moderações da plataforma.

Vale lembrar que esta semana a empresa passou por uma mudança de comando, já que Jack Dorsey,  co-fundador da plataforma, renunciou após pressão de investidores.