O Uber anunciou em abril que “colocaria um sério foco em segurança” e apontou algumas funcionalidades que chegariam ao aplicativo nos meses seguintes. Nesta quarta-feira (5), o CEO da companhia, Dara Khosrowshahi, disse em post publicado no blog oficial que o Uber está “dando o próximo passo em segurança” com uma nova rodada de atualizações.

Essas funcionalidades serão liberadas para os usuários dos Estados Unidos e Canadá e, aos poucos, deve chegar a outros mercados, como o Brasil.

• Uber irá avisar motorista qual a forma de pagamento da corrida
• Brasil está entre os candidatos para receber testes de helicóptero elétrico da Uber

A primeira funcionalidade listada na publicação se chama “Checagem de Corrida”. Ela utiliza o GPS e “outros sensores do smartphone do motorista” para identificar se você esteve em algum acidente.

Se o Uber detectar que talvez você tenha se envolvido em uma batida, tanto para o passageiro quanto para o motorista receberão uma notificação no aplicativo, perguntando se está tudo bem e oferecendo a opção para ligar para a emergência. A companhia indicou que essa central de notificações, bem como o botão de pânico, será extendido para todos os motoristas nos Estados Unidos e Canadá.

A Checagem de Corrida também identificará outros fatores que possam indicar que alguém está em perigo, como “uma parada longa e inesperada durante uma viagem”. Nesses casos, uma notificação de segurança também será enviada ao aplicativo. No entanto, se alguém estiver correndo um sério perigo, é improvável que ela tenha facilidade em acessar essas opções em seu celular.

“Esperamos expandir essa tecnologia para mais cenários no futuro”, escreveu Khosrowshahi.

A publicação também lista algumas outras funcionalidades de segurança que são sem sombra de dúvidas importantes, mas que parecem ter chegado com um grande atraso. A companhia irá disponibilizar em breve comandos acionados por voz para os motoristas – com isso, eles poderão enviar mensagens sem usar as mãos.

A empresa também permitirá que motoristas e passageiros conversem pelo aplicativo sem que seus números de telefone sejam revelados. Além disso, a Uber permitirá que os passageiros peçam uma corrida em cruzamentos, em vez de indicar um endereço exato.

No histórico de corridas do motorista, as corridas irão exibir apenas “a área geral” do começo e do final de uma corrida. Essa medida chega para evitar que motoristas persigam ou assediem passageiros, como foi relatado recentemente nos EUA.

Em abril, a Uber anunciou que estava lançando um programa piloto para esconder as localizações exatas de embarque e desembarque do histórico de viagens do usuário e, em vez disso, mostraria apenas uma região geral no histórico do motorista.

A Uber também está expandindo a autenticação em dois fatores. Os usuários podem optar por utilizar a verificação em duas etapas a cada vez que fizerem login, escolhendo ativar a opção por meio de um código enviado por mensagem de texto (que pode ser interceptado em um ataque direcionado) ou por aplicativos de autenticação de terceiros.

Nem todos os usuários verão essas funcionalidades imediatamente – todas elas serão liberadas “durante os próximos meses”.

“A Uber tem a responsabilidade de manter as pessoas seguras, e levamos isso a sério”, escreveu Khosrowshahi. “Queremos que você fique tranquilo todas as vezes que usar um carro da Uber, e esperamos que essas funcionalidades deixem claro que estamos te protegendo”.

Se você acompanha a Uber há algum tempo, sabe que eles fizeram uma bagunça bem feia nos últimos anos e agora tem sido difícil arrumar a casa. Khosrowshahi acaba de completar o seu primeiro ano na empresa, e entre todas as questões sobre as quais ele foi encarregado, a segurança foi uma das prioridades.

Ainda há muito trabalho a ser feito, mas essas atualizações básicas e cruciais apontam para um serviço mais seguro. A Uber, no entanto, não deveria ganhar pontos com isso – são funcionalidades que a companhia deveria ter pensado antes mesmo de ter lançado o app.