Em outro dia complicado de negociações, a decepcionante abertura de capital da Uber está se tornando desastrosa. O valor dos papéis caiu mais 10,8% em seu segundo dia como uma empresa listada na bolsa, mais do que as perdas gerais da Bolsa de Valores de Nova York.

A Uber, que controla boa parte do mercado de apps de transporte privado nos EUA e no Brasil, sacudiu os investidores com uma queda de 7,6% em relação à estreia de US$ 45 por ação na sexta-feira (10). Como resultado de sua valorização exagerada, essa queda coroou a Uber com o pior de desempenho de abertura de mercado acionário dos EUA, segundo o professor Jay Ritter, da Universidade da Flórida. A companhia chegou ao mercado com valorização cerca de US$ 82 bilhões. Com as perdas de hoje, este número está próximo de US$ 68 bilhões.

Ritter observou que investidores iniciais — os primeiros a colocarem dinheiro na empresa antes de ela abrir seu capital — estão vendo enormes ganhos percentuais, enquanto para aqueles que compraram mais recentemente em rodadas privadas ou na abertura da última sexta-feira, o desempenho da companhia não foi lá muito bom.

Ele foi rápido em notar que essas perdas enormes e o baixo valor de mercado criaram “mais potencial de crescimento”, mas ele suspeita que a Uber e seu principal rival nos EUA, Lyft, “continuarão muito voláteis” devido a “enormes incertezas sobre sua lucratividade futura”. Muitas das expectativas de lucro da empresa são baseadas em suposições — a viabilidade de curto prazo de veículos autônomos, por exemplo.

Embora dois dias de perda não nos diga muito sobre a saúde da companhia, Ritter disse ao Gizmodo que é “totalmente possível que [a Uber] caia ainda mais” antes de se recuperar. Essa leitura dos eventos parece ser compartilhada pela do CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, que escreveu para a equipe de funcionários esta tarde que espera por “tempos difíceis de negociações de ações nos próximos meses”.