Chernobyl está produzindo energia novamente — embora não seja do tipo que desencadeou um desastre nuclear há 32 anos. A Ucrânia agora está se voltando para a energia solar e, no processo, fazendo bom uso da terra que não será habitável para humanos por mais 24 mil anos.

Uma usina modesta de um megawatt, localizada a 91 metros da famigerada usina nuclear de Chernobyl, foi lançada na última sexta-feira (5) por autoridades ucranianas, informa a AFP. As células fotovoltaicas dessa estação solar de € 1 milhão tem 1,6 hectare de terra e produz energia suficiente para abastecer dois mil lares.

A nova usina solar é localizada dentro do que é chamado de Zona de Exclusão de Chernobyl.

Em 26 de abril de 1986, o reator Número Quatro da usina nuclear de Chernobyl sofreu um colapso catastrófico, enviando plumas radioativas para a atmosfera. Até três quartos da Europa foram contaminados, principalmente Ucrânia, Rússia e Belarus (todas partes da União Soviética na época). Pelo menos 30 trabalhadores morreram imediatamente após o incidente, e um número incontável de pessoas sofreu com os efeitos da radiação. Centenas de milhares de pessoas foram evacuadas de um território de 2.600 quilômetros quadrados, área atualmente conhecida como Zona de Exclusão.

O acesso público a essa área é restrito, já que a terra segue radioativa. Ela não será segura para habitação humana por mais 24 mil anos (o plutônio tem meia-vida de 24 mil anos). Em 2016, autoridades ucranianas instalaram um sarcófago de US$ 1,6 bilhão em torno da usina para impedir que mais resíduos radioativas vazassem do reator danificado.

A nova usina solar, embora limitada em sua produção de energia, poderia um dia se tornar algo muito maior. Com o financiamento suficiente, a Ucrânia vislumbra uma usina de 2.500 hectares capaz de gerar 100 megawatts de energia, diz a AFP. O país está atualmente buscando investidores para tornar isso realidade. Eles esperam que a terra barata e a conexão direta da usina com a malha energética vão torná-la uma perspectiva atraente para alguns investidores.

Essa terra radioativa não pode ser usada para o mercado imobiliário ou para a agricultura, então uma usina de energia solar faz sentido. Mas ela também serve a um outro propósito — mais especificamente, os esforços contínuos da Ucrânia para diversificar sua geração de energia. As relações não são boas com a Rússia, e a Ucrânia não está mais comprando o gás natural dos russos. Essa usina, além de reconstituir uma terra abandonada, vai ajudar a tornar a Ucrânia mais autossuficiente em energia.

[VOA via AFP]

Imagem: AP