Depois de Spooky, o Asteroide do Halloween, chegam notícias de outro objeto celestial que irá nos visitar em uma data importante de nosso calendário. Mas não fique com medo, esta pedra espacial não será o Grinch que acabou com o Natal.

O asteroide 2003 SD200, também conhecido como asteroide 163899, deve se aproximar da Terra na véspera de Natal, no dia 24 de dezembro de 2015. Mas ele não vai chegar tão perto assim: a uma distância de 28 vezes maior que a existente entre a Lua e a Terra, a NASA diz que não há com o que se preocupar.

asteroide 01
NASA/JPL/NHATS

Descoberto em 2003, o objeto deve passar pela Terra a uma distância confortável de 6.700.000 milhas, cerca de 11 milhões de quilômetros, ou ainda 0,074 UA. A essa distância, ele será visível apenas para astrônomos profissionais e amadores, que poderão capturar excelentes imagens da pedra espacial gigante.

Talvez a única coisa digna de nota sobre o asteroide 2003 SD220, além de sua visita no Natal, seja seu tamanho. As primeiras estimativas colocavam-no entre 1,1 e 2,5 km de comprimento, mas observações mais recentes consideram que o valor deve ficar próximo de 2 km. O 2003 SD220 está, atualmente, se movendo a uma velocidade de 28,16 km/s, e aparentemente está numa rotação bem lenta de cerca de uma semana.

O objeto, cujo formato lembra um pouco um pedaço de picles ou ainda o dedo de uma galinha, retornará em 2018. A NASA diz que ele não representa uma ameaça à Terra nos próximos dois séculos, no mínimo.

asteroide 02

Crédito: Observatório de Aricebo/NASA/NSF via EarthSky.

Ao contrário do que dizem algumas matérias que saíram na imprensa, o asteroide não irá causar terremotos no nosso planeta quando estiver no ponto mais próximo a nós. Como escreve Eddie Irizarry no EarthSky:

Estas afirmações são enganadoras e incorretas. Mesmo se o 2003 SD220 fosse passar mais perto, é muito duvidoso que o resultado seria um terremoto. Na verdade, não há evidência científica alguma de que o sobrevoo de um asteroide possa causar qualquer atividade sísmica, a menos que ele colida com a Terra, mas claramente não é este o caso aqui.

O objeto está na lista da NHATS de objetos potencialmente acessíveis a humanos. Por isso, astrônomos do Observatório de Arecibo, em Porto Rico, e do Observatório de Goldstone, na Califórnia, estão monitorando o asteroide nas próximas semanas.

[NASA; EarthSky]