Um repórter israelense se ofereceu para testar um colete à prova de facadas. Quando você se propõe a testar um acessório desses, o que menos espera é ser esfaqueado. Mas foi exatamente isso o que aconteceu com ele.

Mas a culpa não foi do colete. Yaniv Montakyo, vice-presidente da FMS Enterprises, responsável pela produção do colete, conseguiu esfaquear uma área do corpo do repórter Eitam Lachover que não estava protegida pelo acessório. Ops!

O colete à prova de facadas foi feito para ser usado por baixo da roupa para, obviamente, proteger o corpo da pessoa de facadas. Esse modelo testado por Lachover usa painéis de plástico semi-rígidos projetados para proteger a área do pescoço e do ombro. No teste, no entanto, Montakyo conseguiu esfaquear uma parte dele que não tinha esse material.

Ele garante que o acidente de maneira alguma significa que o acessório não funcione como deveria – afinal de contas, ele resistiu a diversas outras tentativas de esfaqueamento feitas pelo executivo. Além disso, a FMS disse que Lachover só se feriu por ter se movido durante o teste, o que fez com que a faca atingisse uma área não-protegida pelo material do colete.

Para a sorte de Lachover, o ferimento não foi nem um pouco grave e ele foi liberado do hospital pouco depois do acidente.

[RT, Gizmodo]