Se você quer saber mais sobre procedimentos de saneamento e maquinário de processamento de carne em grande escala, assista a este vídeo. Se você quer continuar a comer no McDonald’s (ou simplesmente carne), é melhor não.

Feito para tranquilizar o público sobre a segurança e a qualidade da carne do McDonald’s, esse tour por uma fábrica de um fornecedor é interessante, em parte por causa das preparações complexas e desconcertantes pelas quais os moídos passam e pelas máquinas fantásticas que fazem o trabalho, mas principalmente por causa do quanto o processo assemelha-se à cena das crianças sendo trituradas em “The Wall”.

O vídeo tem de tudo: funcionários com máscaras falando sobre as virtudes de seu produto “inspecionado pela USDA” (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), enquanto atrás deles uma corrente de bife jorra de um buraco sobre uma rápida esteira; tubos, canos e caixas de vários tamanhos e formas levando uma massa rolante de pasta de carne; incontáveis e misteriosas câmaras de processamento, cada uma fazendo sabe-se lá o quê.

O passo final: depois de todo o processamento, trituração, formação e congelamento, o último dispositivo pelo qual a carne passa antes do empacotamento é um detector de metal. Em outras palavras, vá a um McDonald’s, porque é praticamente garantido que seu Big Mac não tem uma porca dentro.

Não que isso seja necessariamente surpreendente, é só que estamos acostumados com as empresas mantendo esse tipo de coisa fora das nossas vistas. Então, créditos ao McD’s, certo? Veja todo o horror/maravilha mecânico aqui. [McDonald’s; Valeu, Albert!]