O novo MacBook Pro impressionou não só pelo preço no Brasil: além de ser muito fino, sua tela Retina de 2880×1800 pixels tem a maior resolução encontrada em um laptop. O AnandTech deu uma olhada bem de perto nessa tela, e a análise revela que sim, ela é fenomenal.

A tela do novo MacBook Pro usa um painel IPS, assim como o iPad, o que permite um ângulo de visão bem maior. Ela tem uma camada a menos de vidro em relação ao MBP clássico, o que reduz o reflexo sob luz forte. Esta não é uma tela antirreflexo (matte); no entanto, a Apple usa um painel bem brilhante com cor preta extremamente nítida – mais que qualquer MacBook ou ultrabook no mercado. Isto deixa a visibilidade da tela próxima à de um MacBook antirreflexo, segundo o AnandTech.

Quanto à resolução, o OS X Lion não exibe os elementos de tela à resolução nativa: ele “simula” 1440×900 pixels por padrão, o que deixa os elementos de tela em tamanho normal – só que bem mais nítidos. Você pode usar resoluções de 1024×640 a até 1920×1200, e trocar entre elas é bem rápido. No entanto, em jogos como Diablo III e Portal 2, tudo fica glorioso na resolução nativa de 2880×1800.

Bem, quase tudo. O escalonamento de DPI não funciona como deveria em certos programas: no Google Chrome, as fontes são renderizadas de forma diferente e por isso ficam pixeladas na tela Retina – na versão Canary mais recente, o Google resolveu o problema. Programas como o Kindle, que usam fontes prerenderizadas, também precisam se adaptar à nova resolução.

Anand conclui dizendo:

Eu fiquei contente quando a Asus apresentou um painel IPS 1080p no novo Zenbook Prime. Eu estou ainda mais feliz com a Retina Display no MacBook Pro de próxima geração… Eu gosto mais dela que da tela do novo iPad, provavelmente porque eu posso apreciá-la mais no meu trabalho (não estou digitando 15.000 palavras no iPad).

A nova geração do MacBook Pro está sendo analisada a fundo, e logo traremos mais detalhes. [AnandTech]