A gigante das impressoras 3D Stratasys anunciou hoje a compra da MakerBot por US$ 403 milhões. Isso não deve mudar nada na marca MakerBot, mas a Stratasys pode usar o conhecimento no mercado para aumentar os negócios – e isso pode significa mais lojas, fábricas e escritórios.

Não se sinta mal se não souber muito sobre a Stratasys. A empresa, com base em Minnesota, passou os últimos 33 anos se especializando na parte comercial da prototipagem rápida, vendendo sistemas por US$ 100.000. Eles tentaram várias vezes entrar no mercado de consumo, especialmente a partir de 2010, quando fecharam parceria com a HP para criar e distribuir uma linha de impressoras 3D para desktops.

O acordo foi encerrado em agosto passado, após apenas dois anos. E em abril deste ano, eles se juntaram à startup israelense de impressão 3D Objet, que fabrica uma impressora que usa vários materiais para impressão (incluindo papel). Após o acordo de US$ 1,4 bilhões entre Objet e Stratasys, a MarkerBot representava uma das duas empresas remanescentes que poderiam competir no mercado de impressores para desktop – e a Stratasys acabou com isso.

A aquisição provavelmente não é muito surpreendente, considerando o objetivo de expansão da MakerBot. Em abril, a empresa abriu uma nova fábrica em Nova York para atender a demanda pela Replicator 2 (veja um tour pela fábrica abaixo). E hoje, o fundador da MakerBot, Bre Pettis, confirmou os planos de crescimento. “Nós temos um modelo agressivo de expansão, e a parceria com a Stratasys vai nos ajudar a atingir nosso objetivo e possibilitar que pessoas imprimam coisas usando a MakerBot, e isso permitirá levar a tecnologia de impressão 3D para mais pessoas.”

De acordo com o anúncio, a MakerBot vai continuar funcionando com a sua marca e direcionamento próprio, mas vai ter que compartilhar o que seus representantes chamam de “propriedade intelectual e conhecimento técnico”.