A ausência de um padrão único para os carregadores de celular está deixando os reguladores da União Europeia putos da vida. Eles já se meteram no assunto, tanto que a adoção do micro-USB (presente em muitos Androids antigos) foi fruto de intervenção deles.

Só que isso não foi o suficiente para resolver o problema, afinal, a gente ainda não consegue carregar um iPhone com um carregador da Samsung. Por isso, o grupo está planejando um estudo para decidir se será necessária uma ação concreta para que as fabricantes unifiquem as entradas de seus aparelhos. E não é a primeira vez que rola uma ameaça.

• União Europeia quer que fabricantes tenham padrão de carregador, inclusive a Apple
• Os perigos de se usar carregadores e cabos genéricos em iPhones

A ideia de ter um padrão único para os carregadores existe há quase uma década. De acordo com a Comissão Europeia, são produzidos mais de 51 mil toneladas de lixo eletrônico a partir de carregadores velhos, além de ser uma inconveniência para os consumidores.

Em 2009, 14 empresas incluindo Apple, Samsung, Huawei e Nokia assinaram voluntariamente um memorando que concordava em unificar os carregadores para os smartphones lançados em 2011. O que, é claro, não aconteceu.

Algumas delas chegaram a assinar mais cartas e intenção em 2013 e 2014, após a expiração do primeiro memorando. Com o progresso estagnado nesse sentido, a chefe de competição da UE, Margrethe Vestager, disse no dia 1º de agosto que “dado o progresso insatisfatório do método voluntário, a Comissão irá lançar em breve um estudo de avaliação de impacto que analisará os custos e benefícios de diferentes opções”.

Esse tipo de estudo ajuda a Comissão a decidir se é necessária uma ação da UE e analisa o impacto das outras opções para o tema. Independe da decisão dos reguladores, aposto pelo menos uma década até termos um padrão. Até lá, é possível que estejamos carregando nossos smartphones sem usar fios (com padrões diferentes para cada tecnologia, é claro).

[Reuters]

Imagem do topo: Pixabay