Alguns provedores de internet usam uma prática chamada traffic shaping, que reduz a velocidade de download de certos conteúdos, como vídeos online e torrents, para garantir o desempenho da rede para todos os clientes. Só que isso pode prejudicar alguns usuários, e a restrição sobre certos conteúdos não é prevista por contrato e viola a neutralidade na rede. Mas como saber se seu provedor faz traffic shaping?

Você pode usar o teste Glasnost. O teste usa um applet em Java para comparar a velocidade à qual certos conteúdos são baixados no seu computador. Você pode testar a velocidade de torrents, protocolos P2P, vídeos em Flash e vários outros. Mas lembre-se antes de interromper downloads pesados que estejam rodando, e use o teste em vários períodos para um resultado mais confiável – já que provedores podem fazer traffic shaping apenas durante algumas horas do dia, nos horários de pico.

O teste Glasnost não é novo (existe pelo menos desde 2008), mas sempre é uma boa dica. Se você descobrir que seu provedor faz traffic shaping, há algumas coisas que você pode fazer: ativar a criptografia de tráfego no seu cliente de torrents, usar uma conexão VPN, reclamar com o provedor ou em sites como o Reclame Aqui (o que às vezes dá certo) ou mudar de provedor (o que nem sempre é possível ou viável). [Glasnost via Digital Inspiration via Lifehacker; imagem do teaser via]