Ontem, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgou várias medidas pra evitar que os aeroportos se transformem num reino de caos este fim de ano. As empresas aéreas não vão fazer overbooking (vender mais passagens do que assentos), vão disponibilizar aviões reserva, colocar atendentes em todos os postos de check-in nos horários de pico e vão incentivar o check-in pela internet. Você já faz check-in online?

Todas as empresas aéreas brasileiras oferecem o web check-in, e a Gol e a TAM ainda oferecem check-in via celular – tanto em app para iPhone como pela web, para qualquer celular. Fazendo isso, você já obtém o cartão de embarque, que você imprime antes de chegar ao aeroporto; no caso do check-in via celular, você recebe um código bidimensional (QR code) que você mostra para o atendente no celular mesmo.

Se você só tiver bagagem de mão, já pode ir direto ao portão de embarque quando chegar ao aeroporto; se tiver bagagem pra despachar, as empresas aéreas têm filas exclusivas pra web check-in. Você só precisa chegar com certa antecedência; visite o site da sua empresa aérea para saber os detalhes.

Overbooking

A Anac proibiu o overbooking neste final de ano, mas não para sempre: a agência não recomenda a prática, mas também não proíbe. Nos EUA e União Europeia, o overbooking também é permitido, e também existem regras de compensação para o passageiro que não embarca porque todos os assentos já estão ocupados. Ainda assim, a prática é condenada pelo Procon-SP, e com certeza irrita os clientes que pagaram e não puderam embarcar.

A ideia é que a empresa aérea não deixe assentos desocupados só porque alguns passageiros não apareceram. Como explica a Forbes, quem não aparece geralmente iria viajar a negócios – quem viaja por lazer agenda cedo e pega o voo. Como no fim do ano praticamente todo mundo vai viajar por lazer, fazer overbooking nesta época é menos justificável. [Anac via IDG]