A operadora virtual Veek foi anunciada há um ano e demorou mais do que o previsto para sair do papel. A ideia é que ela começasse a funcionar ainda em 2016 e sua proposta tinha como público-alvo os jovens da classe C, com expectativa de planos com preços menores do que os praticados pelas grandes operadoras. A empresa finalmente começará a funcionar no final desse mês e sabemos os preços para fazer ligações, mandar SMS e navegar na internet.

• O vai e vem do polêmico projeto que altera a lei das teles
• Nextel lança Happy, um plano de celular controlado completamente via app

O modelo de cobrança da Veek não é por plano fechado, com limites. Em vez disso, minutos, SMS e megabytes serão cobrados de forma avulsa. Serão cobrados R$ 0,20 por minuto de ligação para qualquer lugar do país, R$ 0,20 por SMS enviado e R$ 0,20 por 10 MB de dados. O controle de consumo é realizado por meio do da Veek no Android ou iOS, num estilo similar ao do Nubank.

Por se tratar de uma operadora móvel virtual, não haverá infraestrutura de antenas própria. Será utilizada a rede da TIM, por meio de um contrato com a Surf Telecom. Outras operadoras móveis virtuais que operam no Brasil são Porto Seguro, Correios, Datora, Terapar e Mais AD.

As tarifas, no geral, não são muito interessantes. Talvez apenas para as pessoas que utilizam apenas um serviço, como a internet, e não utilizam com muita frequência. Para ter franquia de dados de 1 GB na Veek é preciso pagar R$ 20. Enquanto isso, a TIM e Claro oferece esse mesmo 1 GB + 100 minutos de ligações, SMS e WhatsApp sem descontar por R$ 9,99 – a diferença aqui é a validade, de 7 dias. A Vivo, por sua vez, tem um plano com 1 GB (+bônus 1 GB) por R$ 14,99, também semanal. E a Oi tem uma oferta de 1GB, quinzenal, custando R$ 20,00.

A Veek adota ainda um modelo controverso de marketing multinível. Um sistema de comissão por indicação foi montada: os consumidores também receberão 2,5% do valor da recarga de seus convidados diretos, 1% da recarga dos convidados de convidados e 1% no nível seguinte. Além disso, será possível comprar um pacote com dez SIMcards ao preço de R$ 100 e que podem ser revendidos a R$ 20 cada. O dinheiro recebido será carregado num cartão de débito da MasterCard.

[Veek]