Na última quarta-feira (16), a NBA inaugurou uma nova forma de transmitir partidas esportivas. O novo tipo de transmissão envolve a tecnologia de “vídeo volumétrico 3D”, e foi testado durante os times Brooklyn Nets e Dallas Mavericks.

O projeto é o resultado de uma colaboração entre as equipes de tecnologia da ESPN, Disney e NBA. Utilizando o sistema “Free-Viewponint Video (FVV) da Canon, foram posicionadas 110 câmeras ao redor da quadra, para capturar os movimentos dos jogadores, bola e árbitros.

A partir de todas essas imagens — que, para programas de computador, viram dados –, as equipes da ESPN fazem a renderização da partida em tempo real. É nada menos do que combinar os dados de todas essas câmeras para criar uma imagem virtual e digital da quadra e também dos jogadores, simulando o ambiente de forma realista e imersiva. Tudo isso garante ângulos que dificilmente seriam mostrados com câmeras tradicionais ou drones.

Ao todo, seis “feeds” são enviados para a sala de controle da ESPN, oferecendo a possibilidade de seis câmeras virtuais. Cada uma é capaz de se mover em 3D para qualquer ponto dentro ou ao redor da quadra.

NBA 2K, é você?

Até então, o vídeo volumétrico era utilizado apenas para reprisar trechos das partidas, permitindo a visualização mais detalhada de alguns lances. Agora, a emissora anunciou que pretende usar a tecnologia para transmitir jogos completos e ao vivo — do início ao fim. Um trecho do jogo desta quarta pode ser visto abaixo:

À primeira vista, a transmissão parece ter saído do jogo NBA 2K (disponível aqui), desenvolvido para videogames.

Segundo o site Engadget, a ESPN afirma que a transmissão não depende totalmente do vídeo volumétrico, pois pode integrar câmeras tradicionais, replays e outros conteúdos no ambiente 3D.

Apesar de ser uma tecnologia impressionante, a transmissão ainda precisa ser melhorada, pois a arena ainda possui alguns problemas de renderização, com granulações, baixa resolução de imagens e até jogadores sumindo da tela. Entretanto, precisamos dar um desconto por ter sido uma transmissão experimental e ao vivo. Assista mais momentos da tecnologia em ação no vídeo abaixo.