O Pandora, rádio online que não funciona no Brasil (a menos que você apele para VPNs e/ou proxies), quer que você saiba que ele é bom para a música porque paga milhões e milhões de dólares aos artistas pelas suas canções. Take Drake e Lil Wayne, por exemplo, recebem do serviço quase US$ 3 milhões por ano, cada. O Pandora quer pagar ainda mais para esses caras.

De acordo com o CEO Tim Westergren em um post no blog oficial do serviço, o Pandrora pagará US$ 10 mil cada a mais de dois mil artistas nos próximos 12 meses. É, não é algo que vá mudar a vida de ninguém, mas ainda assim o saldo é (bastante) positivo! Os músicos mais famosos, obviamente, recebem um montão de dinheiro a mais:

  • Drake – US$ 3 milhões
  • Lil Wayne – US$ 3 milhões
  • Coldplay – US$ 1 milhão
  • Adele – US$ 1 milhão
  • Wiz Khalifa – US$ 1 milhão
  • Jason Aldean – US$ 1 milhão
  • Rascal Flatts – US$ 670 mil
  • Ellie Goulding – US$ 609 mil
  • Zac Brown Band – US$ 547 mil
  • Mumford & Sons – US$ 523 mil
  • Iron & Wine – US$ 173 mil
  • Bon Iver – US$ 135 mil
  • George Winston – US$ 85 mil
  • The Four Tops – US$ 65 mil

Artistas menos conhecidos também são pagos. Uns de quem nunca ouvi falar, como Donnie McClurkin, French Montana ou o Grupo Bryndis (nas posições 4752, 17000 e 183187, respectivamente, na lista dos mais vendidos da Amazon) ganham, cada, entre US$ 100 mil e US$ 138 mil por ano do Pandora. O mais incrível? Nos EUA, o Pandora responde por apenas 6,5% da audiência de rádio. Imagine o impacto que o aumento dos usuários não causaria? Ou a expansão para outros países? Receberíamos você de braços abertos aqui no Brasil, Pandora.

O Pandora está contente em pagar essas “taxas por desempenho” aos artistas, mas a RIAA e o Congresso dificultam continuamente a vida das estações de rádio online. Triste. O rádio online parece revigorar as esperanças de recompensar o artista, o músico, pelo seu trabalho. Menos intermediários, mais dinheiro para quem realmente produz arte. Pena que para a RIAA, associação das gravadoras norte-americanas, isso seja quase ultrajante. [Pandora via Business Insider]