A matéria da Folha revela que a demora das fabricantes em entrar no mercado dos aparelhos multichip tem culpado: as operadoras de telefonia, claro, não queriam que o formato se popularizasse, já que elas ganham bastante com a interconexão — quando um celular de uma operadora liga para outra operadora. Assim, em dezembro de 2010, apenas 21 aparelhos homologados pela Anatel estavam no mercado. Festa dos xing-lings. Já no último Natal, 94 modelos estavam disponíveis nas lojas, alguns custando até R$79. Se em 2010 os multichip representaram mínimos 2% do mercado total, em 2011, eles tiveram participação de 17%.

A LG, por exemplo, contou para a Folha que os multichips já representam 20% das vendas totais da empresa no Brasil, e já lançou até um triplo SIM no mercado. Segundo levantamento do jornal, vale a pena ter um aparelho com dual chip para duas operadoras caso você fale no mínimo entre 9 a 10 minutos entre mais de uma operadora. Ficamos com pena dos guerreiros da Santa Ifigênia, que já tem que fazer de tudo para vender seus estranhos peixes, mas pelo menos as fabricantes abriram os olhos pro enorme mercado — a telefonia móvel pré-paga representa mais de 80% dos celulares brasileiros. [Folha, Folha apenas para assinantes]