Pesquisadores brasileiros descobriram que uma substância do veneno da cobra brasileira jararacuçu pode ajudar no tratamento da Covid-19. Isso porque ela tem a capacidade de inibir em até 75% a capacidade do vírus de se replicar.

O estudo da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), publicado na revista científica Molecules, não foi feito em humanos, mas em macacos.

A equipe usou essas células e incluiu o peptídeo da cobra nessas culturas. Após o início do teste, o vírus Sars-CoV-2 foi adicionado. Passados dois dias, os cientistas avaliaram os resultados e descobriram a capacidade de reprodução do vírus.

À Agência Brasil, o professor do Instituto de Química Eduardo Maffud disse que o grupo já havia identificado toxinas no veneno da jararacuçu que tinham atividade antibacteriana. “Com o avanço da Covid-19, a gente posicionou vários dos nossos peptídeos para ver se eles apresentavam atividade contra o SARS-CoV-2. Felizmente, a gente obteve esse resultado interessante”, afirmou o pesquisador.

Ainda de acordo com ele, é possível a produção de um remédio com o composto descoberto e isso ajudaria o organismo a ganhar mais tempo para agir e criar anticorpos para combater a infecção. “Isso ainda está em andamento, precisaria de estudos adicionais, mas a gente viu que esse peptídeo impede a replicação ou a multiplicação das partículas virais”, acrescenta Maffud.

Assine a newsletter do Gizmodo

O próximo passo dos especialistas é avaliar a eficiência de diferentes dosagens da molécula e testar como ela protegerá as células. Além disso, os estudos vão seguir com a identificação de outros alvos em que esse peptídeo pode agir e quais seriam seus possíveis efeitos colaterais. Por fim, serão feitos testes em cobaias, como camundongos. “Se o resultado for positivo, vamos desenvolver um tratamento”, conclui o professor.