Há uma enorme leva de pulseiras e smartwatches prometendo acompanhar sua atividade física, mas sempre há um porém: ou o dispositivo é muito grande, ou requer um smartphone, ou tem poucas funções. O Vidameter, no entanto, promete ir além de uma smartband comum: ele permite realizar pagamentos, trancar e destrancar portas, e enviar alertas de emergência… se virar realidade, é claro.

A pulseira de polímero flexível conta com uma touchscreen OLED de 1,55″, luzes LED e alertas por vibração. Dentro dela, há um processador ARM de oito núcleos, mais nove sensores: além do GPS, altímetro e pedômetro, ele tem como medir seu pulso, oxigenação do sangue, atividade muscular, calorias queimadas e temperatura de pele. (Também há um sensor de proximidade.)

O Vidameter pesa 34g e roda o Vidamet OS, que o permitiria funcionar por 7 a 10 dias com uma só carga. Ele também seria resistente a água em até 300 m de profundidade.

Com os sensores, a pulseira consegue medir sua atividade física: ao correr, ela sabe quantos metros você percorreu, qual a sua velocidade, número de passos dados e sua pulsação. Com tudo isso, ela também avisa se você estiver pegando pesado demais no exercício.

O Vidameter tenta se distinguir incluindo tecnologia NFC. Com ela, seria possível fazer compras com a pulseira, realizando pagamentos sem mesmo tirar o smartphone do bolso. E no caso de portas com fechaduras inteligentes – sim, elas existem – bastaria encostar a pulseira para trancá-la ou destrancá-la.

VIDAMETER 2

Mas nada disso foi a inspiração inicial para o Vidameter: a ideia veio após um acidente com um jovem em 2013. Ele precisou esperar oito horas para ser resgatado, mesmo estando a 300 m de casa – ninguém o ouviu gritar. Por isso Alexander Krenn criou um app para Windows Phone que envia alertas de emergência.

Desde então, ficou a ideia: e se uma pulseira que usamos constantemente pudesse emitir o alerta de emergência? O Vidameter promete fazer isso: ele detectaria automaticamente se você estiver inconsciente ou ferido, e envia sua localização e condição física por SMS, MMS ou e-mail para dez contatos pré-definidos.

Bem, trata-se de um projeto ambicioso. Será que ele vira realidade? Ele custa US$ 229 em uma campanha do Indiegogo, para entrega em até dezembro de 2015 (!). O objetivo é arrecadar US$ 1 milhão até o mês que vem; por enquanto, eles conseguiram só US$ 6.000.

Se esta pulseira soa apenas como uma quimera, pelo menos ela poderia inspirar grandes fabricantes – como Fitbit ou Samsung – a criar alternativas bem mais compactas (e úteis) do que as atuais. Você usaria o Vidameter? [Indiegogo via Gizmag]