Um homem de negócios acusado de estuprar uma estudante universitária foi inocentado por um vídeo gravado com um celular que mostrava a mulher se ocupando dele “ativamente” (e não contra a sua vontade).

Antes de o vídeo ser exibido, o juiz alertou a tribuna: “Vocês verão um clipe que, segundo me disseram, vocês podem achar extremamente desagradável.”

Depois da exibição, a defesa dirigiu-se à mulher: “Você e o sr. Taylor eram muito familiarizados um com o outro e se sentiam confortáveis um na presença do outro.” Os jurados votaram pela inocência do rapaz, alvo de quatro acusações de estupro, incluindo duas por penetração oral.

O curioso é que nada se fala sobre o fato de que a mulher – que nega que estava executando um ato sexual “ativamente” com ele – não havia assistido ao vídeo até a exibição no tribunal. [Daily Mail]