Viver na Cidade Rastejante de Lego seria um preço baixo a se pagar por ter uma cabeça amarela e quadrada

Eu sempre brinquei de Lego, mas nunca até este momento eu tive inveja dos carinhas amarelados. Culpa da Crawler Town, de Dave DeGobbi, um trabalho impressionante da concepção à construção. Eu abriria mão de ombros articulados para viver nela.

Eu sempre brinquei de Lego, mas nunca até este momento eu tive inveja dos carinhas amarelados. Culpa da Crawler Town, de Dave DeGobbi, um trabalho impressionante da concepção à construção. Eu abriria mão de ombros articulados para viver nela.

Até mesmo o mundo exterior por onde a Crawler Town se move recebeu atenção do artista:

A Crawler Town perambula pelas desoladas paisagens de um mundo steampunk pós-apocalíptico, depois de mudanças climáticas cataclísmicas causadas pelo uso excessivo de carvão. Existem várias cidades móveis como ela, mas ela é de longe a mais popular, graças às corridas aéreas com hidrogênio Aero 500 que são disputadas. Várias pessoas passam pela Crawler Town todos os dias, de férias ou a passeio, para aproveitar luxos raros como pizza, cerveja e vegetais frescos. Viajando pelo mundo desolado em busca de minerais e aquifers (vitais para a sobrevivência), a mobilidade da Crawler Town possibilita que ela fuja das violentas tempestades de areia.

É ou não é legal demais? [Flickr via Brothers Brick]

Sair da versão mobile