Estamos todos cada vez mais ocupados, o que não é muito bom para a nossa lista de e-mails não-lidos que não para de crescer. Agora, no entanto, um grupo de pesquisadores desenvolveu um serviço de “manobrista para e-mail” via crowdsourcing – mas você compartilharia sua caixa de entrada para simplificar a sua vida?

A New Scientist relata que acadêmicos da Universidade de Stanford desenvolveram um novo sistema chamado GmailValet. Usando o oDesk, uma plataforma web, ele usa uma rede de pessoas que estão online para vasculhar o seu e-mail. A New Scientist explica:



Usuários podem lidar com os temores de privacidade desenvolvendo filtros que limitem o acesso dado aos trabalhadores do oDesk. Todos os emails de membros da família podem ser excluídos do sistema, por exemplo… Uma vez que os trabalhadores entram, eles examinam os novos emails e, se apropriado, pegam uma tarefa da mensagem, que aparece em uma lista de coisas para fazer que fica junto da caixa de entrada no GmailValet, como um lembrete de que o usuário precisa responder um pedido de reunião, por exemplo.

Testes iniciais sugerem que, mesmo pagando um salário mínimo de US$ 8 por hora para trabalhadores da Califórnia, um sistema assim custaria para cada consumidor ao menos US$ 1,80 por dia. Também tem uma compensação para aqueles que testaram, com uma taxa de conclusão de tarefas subindo de 30 para 60%.

O problema continua, no entanto, no fato de você deixar estranhos lerem seu e-mail – e mesmo que o filtro seja funcional, problemas de privacidade certamente surgiriam. Então a pergunta é: você assinaria um serviço assim? [New Scientist]