Depois de sofrer muitas críticas com o anúncio de sua nova política de privacidade e adiar a implementação das novas diretrizes, o WhatsApp passou as últimas semanas tentando não causar mais problemas. Mas esse período de paz não durou muito, já que a empresa revelou o que vai acontecer com os usuários que não aceitarem as novas regras até 15 de maio, quando elas enfim começarão a valer.

Em um e-mail enviado para alguns de seus parceiros comerciais, o WhatsApp diz que vai “pedir lentamente” aos usuários que aceitem a nova política de privacidade “para ter total funcionalidade” do aplicativo. O e-mail foi visto pelo TechCrunch e posteriormente confirmado a veracidade com o WhatsApp.

Em uma nova página de perguntas frequentes intitulada “O que acontece na data efetiva?”, o mensageiro afirma que não excluirá as contas dos usuários que não aceitarem os novos termos, mas que eles não poderão usar o aplicativo como normalmente o fazem. O trecho diz:

“Se você ainda não tiver aceitado [as novas regras], o WhatsApp não excluirá sua conta. No entanto, você não terá todas as funcionalidades do WhatsApp até que as aceite. Por um curto período de tempo, você poderá receber chamadas e notificações, mas não poderá ler ou enviar mensagens no aplicativo.”

Atém disso, os usuários que não aceitarem os termos até 15 de maio serão considerados inativos e, automaticamente, estarão sujeitos à atual política do WhatsApp, conforme detalhado abaixo:

“Para manter a segurança, limitar a retenção de dados e proteger a privacidade de nossos usuários, as contas do WhatsApp são geralmente excluídas após 120 dias de inatividade. O conteúdo armazenado localmente no dispositivo de um usuário antes da exclusão da conta permanecerá até que o WhatsApp seja excluído do dispositivo. Quando um usuário se registra novamente no WhatsApp no ​​mesmo aparelho, o conteúdo armazenado localmente reaparece.”

O Gizmodo US entrou em contato com o WhatsApp para pedir esclarecimentos sobre a exclusão de contas daqueles que não aceitarem a política de privacidade após 120 dias. Atualizaremos este artigo assim que obtivermos uma resposta.

O WhatsApp também tenta tranquilizar os usuários de que não tem planos nefastos de compartilhar seus dados pessoais com o Facebook, que controla o mensageiro. Apenas para ficar claro: neste primeiro momento, a nova política de privacidade não afeta os usuários que usam a ferramenta apenas para enviar mensagens para amigos e familiares. As mudanças atingem principalmente empresas que usam o aplicativo para se comunicar com seus clientes.

Assine a newsletter do Gizmodo

Na semana passada, a companhia anunciou que seria mais transparente com os usuários a respeito das novas diretrizes. Para tal, lançou uma página dedicada para esclarecer dúvidas e, a partir de agora, vai exibir um banner no topo do app destacando as mudanças. A empresa pontua que, como ainda faltam dois meses para isso acontecer, “as pessoas poderão ler [a atualização] no próprio ritmo”.

Embora alguns usuários possam ficar indignados com a nova política de privacidade do WhatsApp — que, vamos lembrar, não afeta os usuários individuais por enquanto –, esta atualização é um lembrete importante de que poucas coisas são realmente gratuitas na tecnologia. Se um serviço ou aplicativo afirma ser gratuito, não se esqueça de que você provavelmente está pagando por ele com seus dados.