Quando o WhatsApp Business foi liberado no mercado brasileiro no início deste ano, mostramos nossa preocupação de que a ferramenta seria um repositório de spam. Porém, segundo Maz Sharafi, head de marketing da empresa, isso não tem sido e não deve ser um problema para as pessoas.

Último cofundador do WhatsApp deixa o Facebook
O WhatsApp Business pode ser uma boa se não virar um mar de spam

“O usuário não será inundado de spam, pois ele está no controle”, disse Sharafi, durante encontro com jornalistas em São Paulo para falar sobre a ferramenta. “O usuário pode limitar as notificações, reportar spam ou simplesmente bloquear o contato. Então, ele tem total controle das suas interações.”

Maz Sharafi é iraniano e está no WhatsApp há pouco mais de um ano. Crédito: Divulgação

Liberado em janeiro deste ano, o WhatsApp Business tem sido usado por mais de três milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a empresa. É um número pequeno comparado com a base do app, que soma mais de 1,5 bilhão de pessoas, no entanto o objetivo da empresa é crescer ainda mais a base de pequenas e médias empresas que utilizam a versão de negócios do app.

O WhatsApp Business foi construído, como lembrou Sharafi diversas vezes durante a conversa, com base no app de conversa que já conhecemos e para dar aos negócios uma presença oficial no app. Um pequeno comerciante pode baixar o app e colocar informações relevantes (como endereço, telefone oficial e horário de funcionamento). As contas, então, podem ser confirmadas pela empresa — e num futuro próximo, pelo menos marcas grandes deverão ter contas verificadas.

A companhia não deu muitos detalhes sobre esse processo, embora em um FAQ eles dizem que confirmam as contas. Porém, seria interessante haver algum tipo de checagem mais profunda, até para evitar o que aconteceu no Instagram: algumas pessoas usavam a rede para vender roupas, pegavam o dinheiro das pessoas e desapareciam sem entregar o produto.

Segundo o executivo do WhatsApp, que estava de passagem pelo Brasil para ouvir o feedback de quem utiliza, o produto ainda está só no começo, e ele ouviu pedidos relevantes dos usuários locais. “Os empreendedores querem saber de formas para melhorar a relação com os clientes e maneiras de aumentar a base de clientes sem ser invasivo. Dentre as funcionalidades pedidas, as principais foram a possibilidade de informar sobre eventos e um recurso para agendar reuniões”, disse.

Por ora, o WhatsApp Business facilita ações básicas, como estabelecer respostas automáticas, informar horário de funcionamento, definir mensagens de ausência e usar rótulos (como pago, pagamento pendente, entre outros). No momento, só está disponível para Android — que é o sistema presente na maioria dos celulares do mundo. Apesar disso, existem planos para levar a plataforma para o iOS.

Não sei se vocês já tiveram de lidar com algum comércio no WhatsApp Business, mas, recentemente, tive uma boa experiência. No caso, era uma farmácia de manipulação: mandei a receita escaneada, recebi o orçamento, aprovei e, na sequência, já mandei o comprovante de pagamento.

No primeiro contato, a resposta não foi imediata, mas havia lá uma mensagem automática dizendo que eles entrariam em contato em breve, o que não demorou mais de dez minutos. O melhor de tudo isso é que deu para resolver tudo pelo app, sem precisar ter de ligar para o laboratório e receber respostas relativamente rápidas aos meus questionamentos.

E a monetização?

Paralelo ao WhatsApp Business, a empresa tem pensado em formas de fornecer um serviço semelhante para grandes empresas — aqui no Brasil, por exemplo, existe uma parceria com o Itaú. A iniciativa talvez seja a que vai fazer o Facebook começar a ver algum dinheiro entrar na empresa mais cara já comprada por Mark Zuckerberg.

Se você não se lembra, o WhatsApp foi adquirido por US$ 19 bilhões sem um modelo de negócio — a empresa era mantida por grana de investidores e aqueles pagamentos de assinatura de US$ 0,99 que foram encerrados com o tempo.

O uso do WhatsApp Business ainda é pequeno. Então, só esperamos que a companhia não estrague a situação e que não se torne o novo e-mail, com spams e gente enchendo paciência a toda hora.