Lá vamos nós de novo. A Microsoft já tinha desvendado quase todos os mistérios sobre a atualização para o Windows 10: ele será gratuito para PCs rodando cópias genuínas do Windows 7 ou 8 – e haverá algo adicional para quem instalou o Insider Preview.

>>> Quais recursos seu PC vai ganhar (e perder) com o Windows 10
>>> Microsoft tenta acalmar seus maiores receios sobre o Windows 10

Gabe Aul, chefe do programa Windows Insider, explica que quem estiver rodando a versão de testes terá duas opções:

  • instalar a versão final (RTM), que chega em 29 de julho: neste caso, você precisa de uma cópia genuína do Windows 7 ou 8.1 para atualizar, como já se sabia;
  • continuar como Insider: “você poderá conferir as mais recentes correções, recursos e atualizações, e poderá nos dar feedback”, diz Gabe.

Ele explica o segundo caso no blog oficial da Microsoft:

Este é um software pré-lançamento e é ativado com uma chave pré-lançamento. Cada build individual irá expirar depois de um tempo, mas você vai continuar a receber novas builds – quando uma delas expirar, você já terá recebido uma nova.

Ou seja, trata-se de uma cópia genuína, mas de testes.

Gabe avisa: “o Windows 10 se destina a ser instalado em dispositivos com Windows genuíno” – mas ele não vai verificar qual sistema você estava rodando no computador. Em teoria, por mais que você esteja rodando uma versão pirata ou bem antiga (XP ou Vista), seria possível pegar uma cópia gratuita do Windows 10 através do programa Insider.

Só que isso está muito mais próximo da pirataria do que Gabe deu a entender no Twitter:

Você quer o Windows 10 gratuito, mesmo que seja uma versão de testes? Se sim, siga estas instruções e instale a versão Preview no seu computador. Você continuará recebendo atualizações após 29 de julho.

O anúncio oficial da Microsoft foi alterado duas vezes nos últimos dias, para esclarecer a situação. Lendo nas entrelinhas, parecia que a Microsoft estava oferecendo uma forma de usuários experientes obterem o sistema de graça, mas sem abrir as comportas para empresas e fabricantes. É que, na maior parte, a Microsoft fatura com o Windows através da venda de licenças; como a atualização através do Preview não é oficialmente sancionada, as empresas ainda teriam de pagar pela atualização. (O Windows 10 custará a partir de US$ 119 no varejo.)

Agora, a situação está um pouco mais clara: você terá o Windows 10 de graça, mas em uma versão de testes, com builds que expiram após certo tempo. [Microsoft via The Verge]

Atualizado às 17h20