O Windows 10 Mobile enfim começou a ser distribuído, após atrasos e vários alarmes falsos. No entanto, muitos usuários ficarão sem o novo sistema: o que parecia ser uma lista inicial de dispositivos a serem atualizados na verdade é definitiva.

18 modelos do Windows Phone já estão recebendo o Windows 10 Mobile, deixando de fora aparelhos populares como o Lumia 520, e smartphones icônicos como o Lumia 1020.

Gabe Aul, gerente geral de engenharia da Microsoft, diz no Twitter que não haverá uma segunda “onda” de atualizações. (Por enquanto, apenas o Lumia Icon está sendo considerado para entrar na lista; ele não foi lançado no Brasil.)

E a conta oficial @WindowsInsider confirma que diversos dispositivos – 520, 620, 625, 630, 720, 920, 1020, 1320, HTC One M8 – ficarão no Windows Phone 8.1. Usuários podem instalar neles o Windows 10 Mobile Insider Preview, mas “em algum ponto no futuro, esses dispositivos também vão parar de receber atualizações“. Eles não terão suporte, e contarão com uma experiência que nem a Microsoft considerou aceitável para distribuir a todos.

Como ficam os usuários brasileiros nisso tudo? Para entender melhor, o Gizmodo Brasil solicitou dados da AdDuplex, e descobrimos que 50% dos Windows Phones em uso no país não serão atualizados.

A AdDuplex é uma rede de anúncios e promoção cruzada para apps do Windows, que também acompanha o uso de Windows Phones no mundo. Os dados foram coletados de mais de cinco mil apps que usam o SDK da AdDuplex.

No Brasil, os Windows Phones mais usados são o Lumia 630 e Lumia 520, e nenhum deles será atualizado. 46% dos aparelhos receberão o Windows 10 Mobile; enquanto os 4% restantes ainda rodam Windows Phone 7.

A quantidade de dispositivos já lançados com o Windows 10 Mobile gira em torno de 0,01%, porque eles ainda não chegaram oficialmente ao Brasil – nem da Microsoft, nem de outras fabricantes.

Pior que Android

Em outros países, a situação também não é muito animadora. Alan Mendelevich, CEO da AdDuplex, diz no Twitter que 50% dos Windows Phones no mundo ficarão sem o Windows 10 Mobile. Cerca de 4% ainda rodam Windows Phone 7, deixando apenas 46% para o novo sistema.

Esta é uma situação ainda pior que no Android. Sim, o sistema do Google demora em ser distribuído para smartphones antigos (se isso acontece!), mas você não precisa ter a versão mais recente se quiser rodar a maioria dos apps.

Se um desenvolvedor mirar no KitKat (4.4) – como faz a própria Microsoft – o app funcionará em até 73% dos dispositivos com acesso à Play Store. Se mirar no Windows 10 Mobile, ele terá atualmente um teto de 46%.

E as porcentagens não levam em conta a escala das duas plataformas. O Android está em mais de 1,4 bilhão de dispositivos com acesso à Play Store, segundo o Google. A Microsoft não divulga números, mas se você somar todas as vendas de dispositivos Lumia (incluindo os da Nokia), o valor é de apenas 106,8 milhões.

Isso considera dispositivos já inativos e modelos vendidos com Windows Phone 7. Ou seja, a quantidade real de aparelhos – e de usuários – é ainda menor. (Os Lumias correspondem a 97% de todos os Windows Phones em uso, segundo a AdDuplex.)

Apps universais (UWP) do Windows 10 Mobile não funcionam no Windows Phone 8.1. O desenvolvedor teria que manter duas versões do mesmo app, ou simplesmente deixar os usuários do sistema antigo para escanteio.

Já estamos vendo isso acontecer: por exemplo, o app oficial do Instagram está em pé de igualdade com outras plataformas no Windows 10 Mobile, mas a versão para WP8.1 foi abandonada de vez. Algo semelhante vale para os apps oficiais do Facebook e Twitter.

Promessas

A Microsoft diz que quer “oferecer a atualização do Windows 10 apenas para os dispositivos que possam continuar a oferecer uma boa experiência”. Normalmente, isso seria desejável, pois ninguém quer uma atualização que deixe seu dispositivo mais lento (muitos donos de iPhones antigos hesitam em instalar o iOS mais recente por causa disso).

No entanto, isso será uma limitação grave para os apps que dispositivos antigos poderão instalar – como dissemos, as novidades estão se concentrando no Windows 10 Mobile.

Além disso, a Microsoft prometeu há tempos, repetidas vezes, que traria a atualização para todos. Em 2014, a conta oficial @Lumia repetiu cinco vezes que “o Windows 10 virá a todos os dispositivos com Windows Phone 8 no futuro”.

Depois tivemos o evento de janeiro de 2015, quando o Windows 10 foi anunciado oficialmente pela primeira vez. Terry Myerson, vice-presidente de Windows e Dispositivos, disse: “nós também vamos disponibilizar uma atualização gratuita do Windows 10 para todos os dispositivos rodando Windows Phone 8.1”.

Eis o vídeo:

Em julho de 2015, a promessa foi repetida mais uma vez, mesmo que discretamente. A Microsoft informou os requisitos mínimos para atualizar para o Windows 10 Mobile, o que inclui esta lista de processadores:

windows 10 mobile atualizacao analise

Estes são os diferentes códigos para o Snapdragon 200, 400, 410, 800, 801 e também para o antigo S4 Plus.

Mais especificamente, a lista inclui o “MSM8227”, variante do Snapdragon S4 Plus usada no Lumia 520/525/620/720; o “MSM8930”, outra variante usada no Lumia 625; e o “MSM8960”, usado no Lumia 820/920/925/1020. Nenhum desses smartphones será atualizado, mas a lista de processadores compatíveis segue inalterada.

Gabe Aul diz que “alguns dispositivos mais antigos, especialmente com processador dual-core e 512 MB de RAM, não são suportados”. No entanto, as especificações mínimas do Windows 10 Mobile pedem por 512 MB de RAM. Está lá no mesmo documento oficial da Microsoft:

windows 10 mobile atualizacao analise 2

Além disso, até recentemente, o smartphone Blu Win JR LTE era listado na loja online da Microsoft americana como “atualizável para o Windows 10”, mesmo tendo apenas 512 MB de RAM:

windows 10 mobile atualizacao analise 3

Um usuário do Reddit reclamou disso e, dias depois, a Microsoft atualizou silenciosamente o site, removendo a parte de compatibilidade com o Windows 10:

windows 10 mobile atualizacao analise 4

A Blu fez o mesmo: aqui está o site atual; e aqui está uma imagem do que ele dizia há poucos dias – “atualiza para o Windows 10”.

Gabe Aul diz no Twitter que, “se pudéssemos dar suporte a todas as gerações de hardware, nós daríamos, mas às vezes precisamos tomar decisões difíceis”.

O problema é que a “decisão difícil” veio um ano depois de usuários no programa Insider enviarem feedback, lidarem com bugs e terem a esperança de atualizar seus dispositivos. E isso veio bem discretamente, primeiro anunciado no blog oficial de um jeito ambíguo, e depois esclarecido através de respostas no Twitter.

Tudo isso deve ter um impacto no ecossistema móvel do Windows, que já sofreu com uma queda sem precedentes na venda de aparelhos. Portanto, não é surpresa que a Microsoft esteja apostando em outras plataformas, apoiando uma versão do Cyanogen OS e levando seus apps para plataformas da concorrência.