Toda vez que você conecta um pendrive ou outro dispositivo de armazenamento USB em um computador com Windows, um ícone aparece próximo ao relógio do sistema. Você, ao menos teoricamente, deveria clicar nele e pedir para remover o hardware com segurança. O risco de não fazer isso é causar algum erro no armazenamento. No mínimo, você leva uma bronca do sistema operacional. Uma futura atualização do Windows 10, no entanto, vai dispensar esse procedimento.

O Windows tem duas políticas para lidar com dispositivo de armazenamento removíveis: “Melhor desempenho” e “Remoção rápida”. Atualmente, o sistema operacional usa a primeira como padrão. Ao salvar arquivos em um pendrive, por exemplo, ele cria um cache. Esse cache precisa ser esvaziado antes de remover o dispositivo. Esse modo garante mais segurança e rapidez. Em contrapartida, não permite que dispositivos sejam removidos sem aviso.

A partir da versão 1809 do sistema operacional — a chamada “atualização de outubro de 2018”, que está sendo distribuída aos poucos depois de causar alguns problemas –, o Windows vai passar a usar a política “Remoção rápida” como padrão. As operações de salvar arquivos em pen-drives podem ficar mais lentas. Por outro lado, vai dar para puxar o dispositivo a qualquer momento sem qualquer problema.

Quem quiser que o comportamento continue como sempre foi poderá optar por isso. Basta seguir as instruções dadas pela própria Microsoft em seu site de ajuda para mudar a política e voltar para o modo “Melhor desempenho”. Como nota o ZDNet, talvez isso seja útil para quando você precisar colocar arquivos grandes em um pendrive — depois, volte à opção padrão para poder puxar o pen-drive a qualquer momento.

E você, já teve algum problema puxando pendrives sem avisar o sistema operacional?

[Microsoft via Slashgear e ZDNet]