Windows 7 Release Candidate 1. Ele está quase pronto, e por isso nos sentimos confortáveis para finalmente colocá-lo contra o Vista em alguns velhos e bons benchmarks. O Windows 7 passa a impressão de ser mais rápido. Será que é mesmo?

Para o teste, usamos as versões 32-bit tanto do Vista quanto do 7 na mesma máquina: Intel Core 2 Duo a 2,4 GHz, 4 GB de RAM (mas realmente apenas 3 GB disponíveis por causa da questão do 32-bit), Nvidia GeForce 9600M GT com 256 MB. Testamos a 32-bit porque essa é a versão no disco oficial do RC1 que nos mandaram. Testaremos também as 64-bit, não se preocupe.

A primeira série de teste é a de “uso diário”, coisas que você rodaria no dia a dia. Quanto menos tempo elas tomarem, melhor.  O Vista venceu o 7 duas vezes aqui – foi mais rápido ao desligar a máquina e ao aplicar um filtro em uma foto de 16,6 MB (9.764 x 3.720 pixels) no Adobe Photoshop CS4. Ao jogar Left 4 Dead com as configurações recomendadas, o Vista também pareceu oferecer uma performance levemente melhor, mantendo de maneira mais constante uma taxa próxima a 30 FPS – embora você tenha que ficar lendo esses números na tela para saber que realmente há uma diferença de desempenho nos dois sistemas. Mas você deve ter em mente que os drivers da Nvidia para o 7 ainda estão em beta e não são atualizados desde março, enquanto as últimas versões para o Vista saíram algumas semanas atrás – e drivers têm um grande impacto na performance em games.

A segunda série de testes foi com o PCMark Vantage e o 3DMark Vantage – benchmarks tradicionais, programados para o Vista. Aqui, o 7 saiu-se melhor, perdendo para o Vista apenas em um teste do 3DMark.

No geral, a coisa parece meio misturada. O Windows 7 RC1 bateu o Vista em benchmarks brutos por uma pequena margem e ficou um pouco atrás em algumas medidas no mundo real. O mais interessante no uso regular é que o Windows 7 ainda passa a impressão de ser mais rápido e responsivo do que o Vista, ainda que os números objetivos digam o contrário. É mais do que um simples efeito placebo “ei, isso não é o Vista”, é algo que aponta para uma experiência de uso refinada que faz você sentir o sistema operacional respondendo de maneira mais rápida e suave às suas vontades. E é isso o que realmente importa, mais do que números.