Apesar das vendas abaixo do esperado, o Windows Phone 7 parece estar se dando bem como plataforma: eram só 1.000 apps em outubro; em dezembro, já eram 3.000; em fevereiro, 7.500; e agora, em março, são mais de 11.500 apps para o novo OS móvel da Microsoft. Isso ainda é pouco frente às centenas de milhares de apps no iOS e Android, mas dado que o WP7 “gerou 10.000 apps mais rápido que qualquer outro” OS, parece que essa plataforma tem futuro.

A Microsoft compartilhou algumas estatísticas do Windows Phone 7 Marketplace: são 11.500 apps, dos quais 7.500 (65%) são pagos. Dos apps pagos, 44% estão disponíveis em versão trial – você só paga se gostar. Os usuários baixam em média 12 apps por mês.

Mas “o que é um app?”, pergunta a Microsoft. Papéis de parede são apps? Está certo contar a versão lite e full de um mesmo app como dois apps diferentes? Vale contar um mesmo app em diferentes idiomas como vários apps? Basicamente, eles acusam – ainda que implicitamente – a App Store e o Android Market de fazer dupla contagem de apps e inflar o tamanho de suas lojas de apps.

Bem, mesmo que descontássemos os apps duplicados, os apps de peido na App Store e os apps maliciosos do Market, ainda assim seriam muito mais do que o WP7 tem hoje. Melhor focar em qualidade em vez de quantidade, se o WP7 quiser ter um diferencial e rivalizar com as grandes plataformas nos próximos anos, como alguns esperam. Se depender dos 36.000 desenvolvedores para WP7 – com 1.200 se registrando a cada semana – isso pode mesmo acontecer. [Windows Phone Developer Blog via Mashable]

Foto por Axel Bührmann/Flickr