Volte a algumas semanas atrás. Antes do Windows Phone 7 surgir à luz do dia, a prova mais forte que tínhamos de um novo produto da Microsoft estava em algo diferente: o esperado e misterioso Project Pink. Mas o que aconteceu com ele?

O Windows Phone 7 foi o centro das atenções no Mobile World Congress, e o evento veio e foi sem nenhuma menção do Pink. O que é estranho! Porque até a conferência, a maior parte do material — provas, em vez de boatos — sobre os planos da Microsoft estavam centrados nesse produto em particular, o que quer que ele seja. Tivemos conversas no Twitter por pessoas da Microsoft, de um cliente chamado "Danger". Tivemos registro no FCC (espécie de Anatel americana), cujas peças principais estarão sob segredo até dias depois da conferência CTIA, sobre comunicação sem fio, no fim de março. E, claro, tivemos o vazamento original do Pink aqui no Gizmodo.

Então, com o Windows Phone 7 revelado e comentado, isso nos deixa com o quê? Com uma ótima documentação, vazamentos inexplicados mas relevantes, e talvez algo mais revelador, o mesmo tráfego no Twitter vindo da Microsoft com esse cliente "Danger". Veja acima a imagem que capturamos hoje.

Apesar da ênfase do WP7 em integrar redes sociais, ele foi lançado com uma falta óbvia de suporte ao Twitter. Em outras palavras, todos esses tweets vindos da Microsoft não vêm do Windows Phone 7. Adicione a isso a marca "Danger" nos tweets e começa-se a entender que o WP7 é só parte da história. O Pink provavelmente ainda está para chegar, e provavelmente não vai rodar WP7, deixando uma grande questão em aberto: vai rodar o quê, então? E ele será o único?

É uma pergunta instigante, talvez porque não há nada próximo de respondê-la. Então não vamos tirar os olhos da Microsoft — eles ainda estão com uma carta na manga. [Twitter]