Em outros países, comprar apps usando seus créditos de celular é algo relativamente comum; no Brasil, nem tanto. Felizmente, a Microsoft passou a oferecer “carrier billing” no país para o Windows Phone.

O recurso está disponível inicialmente para clientes da Claro. Se você for cliente pré-pago ou controle, o valor será debitado do seu saldo de créditos. Se você for cliente pós, o valor será cobrado na sua próxima fatura.

Segundo o Windows Phone Brasil, a opção de pagamento aparece de forma automática. Mas se você já tiver um cartão de crédito cadastrado, pode escolher a cobrança pela operadora tocando em “Adicionar ou mudar formas de pagamento”.

Vale lembrar que essa opção só aparece se você estiver na loja brasileira. Se você está usando a loja americana, siga estas instruções da Microsoft para mudar isso: “vá para Configurações > Idioma+região, selecione País/região e toque no botão Reiniciar telefone”.

Esta não é a primeira vez que brasileiros podem pagar por apps através da operadora. Em 2012, Nokia e Claro se uniram para oferecer isto a usuários do S40 e Symbian. No mesmo ano, o Google prometeu fazer algo semelhante para o Android, o que não aconteceu.

Cartão internacional

Para comprar apps no Windows Phone, você também pode usar um cartão de crédito, mas esse método passou por alguns problemas no ano passado. Clientes do Itaú, Bradesco e Santander não conseguiam mais adquirir apps porque esses bancos deixaram de aceitar transações em real feitas no exterior.

Então, na surdina, a Microsoft alterou o modo de cobrança: o valor é convertido em dólares e cobrado no exterior, com incidência de IOF. Por isso, clientes de qualquer banco – incluindo Itaú, Bradesco e Santander – podem comprar apps, mas precisam de um cartão internacional.

Em comunicado, a empresa explica ao Gizmodo Brasil:

A Microsoft gostaria de esclarecer que o valor em reais apresentado na Windows Phone Store para pagamentos com cartão de crédito é uma referência baseada na conversão do preço original em dólares norte-americanos para reais. Como se trata de uma transação internacional, o preço final do produto em reais é calculado de acordo com o valor da cotação do dólar norte-americano na data do fechamento da fatura do cartão de crédito do usuário e após a inclusão do valor relativo ao IOF. O mesmo processo acontece para a assinatura de Xbox Music.

A Microsoft ainda diz que “está sempre buscando alternativas para melhorar a experiência dos consumidores”, por isso oferece pagamento em real via créditos de celular. No caso da Xbox Live, “os valores são cobrados em moeda local – não há conversões”. [Microsoft via VentureBeat; Windows Team]

Imagem por Windows Mania