O YouTube anunciou que a partir da sexta-feira (13) a sua classificação de artistas e músicas para o ranking de maiores sucessos passou a contabilizar apenas visualizações orgânicas.

Segundo comunicado da empresa, o YouTube se tornou um marcador para medir o sucesso de um lançamento a partir do número de visualizações de um vídeo nas primeiras 24 horas desde a sua publicação. Portanto, para “oferecer maior transparência à indústria da música” e se “alinhar às políticas de empresas que produzem rankings oficiais (como Billboard e Nielsen)”, diz o comunicado, a plataforma não vai mais considerar as visualizações de publicidade paga na hora de criar a parada musical.

Se você não sabia, este é o link que mostra as músicas mais tocadas do YouTube no Brasil. Imagem: YouTube

Com a mudança, os conteúdos elegíveis para entrar no ranking serão aqueles com visualizações vindas de fontes orgânicas, resultados de busca, sites externos que tenham o vídeo inserido e recursos do YouTube como a página principal, a seção de próximos vídeos e dos que estão em alta.

A nova medida chegou um dia depois do Google, proprietário do YouTube, ter anunciado mudanças em seu algoritmo de buscas para priorizar notícias originais. As duas mudanças indicam um movimento interessante da empresa para valorizar mais conteúdos autênticos. Mas como isso vai impactar de fato os usuários e a própria companhia (principalmente considerando que parte considerável de sua receita vem de anunciantes)? Vamos aguardar os próximos capítulos.